Homem que aplicou golpes em idosos em Guaramirim e outras 12 cidades de SC é preso em SP

Foto: Reprodução Google Maps

Por: Claudio Costa

14/03/2023 - 06:03 - Atualizada em: 14/03/2023 - 08:56

Agentes da Delegacia de Polícia Civil de Balneário Piçarras prenderam um homem que aplicou golpes em idoso em Guaramirim e outras 12 cidades de Santa Catarina.

A prisão ocorreu no dia 8 de março, em Miracatu, no interior de São Paulo.

De acordo com a Delegada Beatriz Ribas, que comandou a investigação, o homem abordava idosos nas agências de autoatendimento do Banco do Brasil.

No momento em que ele oferecia ajuda, ele hackeava a conta da vítima, fazia saques, empréstimos e transferências para contas de terceiros.

Apenas em Santa Catarina, já foi identificado que o criminoso aplicou golpes em 25 agências de autoatendimento bancário, localizadas nos municípios de Itapema, São José, Imbituba, Tubarão, Paulo Lopes, Palhoça, Balneário Camboriú, Navegantes, Blumenau, Tijucas, Guaramirim, Barra Velha e Balneário Piçarras.

Além de Santa Catarina, o investigado também teria cometido crimes em outros estados como Bahia, São Paulo, Paraná.

Ribas assinalou que é fundamental que as vítimas façam o boletim de ocorrência, pois é o ponto de partida para a investigação.

“Temos informação que algumas vítimas ainda não fizeram o registro policial, apenas buscaram solução por meios administrativos junto à instituição bancária. Por isso, estamos divulgando a lista das agências e municípios onde foram realizados os golpes para que as vítimas entrem em contato com a Polícia Civil,” disse a delegada.

Dada à atuação do criminoso, que agiu em muitas cidades catarinenses, o inquérito policial será instaurado pela Divisão de Estelionatos e Defraudações da Deic (Diretoria de Investigações Criminais).

A orientação é que as vítimas, depois de fazer o boletim de ocorrência na delegacia mais próxima (caso ainda não tenham feito), procurem a Deic pelo telefone (48 3665-9500) que serão encaminhados para a Delegacia de Defraudações, que assumiu o caso.

Abordagem

O autor do crime vai até a sala de autoatendimento do Banco do Brasil, geralmente no horário da manhã, para vigiar os idosos que estão utilizando os caixas.

Ele se aproveita da vulnerabilidade dos idosos para enganá-los, haja vista a dificuldade que normalmente encontram para utilização dos caixas, decorrente da falta de habilidade com equipamentos eletrônicos.

O autor do golpe vai até um caixa eletrônico, finge utilizar uma das máquinas e ali emite um papel, supostamente retirado do equipamento por ele utilizado.

No papel consta informação sobre a necessidade de recadastramento da biometria.

Ele fica aguardando a saída do Idoso do caixa onde estava fazendo sua transação bancária e o aborda.

Diz ao idoso que ele precisa recadastrar sua biometria, pois se não cadastrar será cobrada uma tarifa bancária, no valor aproximado de R$ 79,00.

Diante desta informação o Idoso, pega o papel do criminoso e volta para o caixa, para tentar recadastrar a biometria.

Mas não consegue, pois o cadastramento já existe. O criminoso então se passa por pessoa solícita e oferece ajuda para a vítima, afirmando que acabou de fazer o seu cadastramento e deu certo.

A vítima de imediato aceita a ajuda, buscando evitar a cobrança da suposta tarifa inventada pelo criminoso.

Usando de sua sagacidade, enquanto finge ajudar a vítima, valendo-se do seu exímio conhecimento do sistema do Banco do Brasil, de forma extremamente rápida e ágil, sem que a vítima perceba, utiliza sua mão esquerda e prepara a máquina para que efetue uma transferência de valores.

Quando o idoso coloca o dedo sobre o espaço da biometria, a transação já se efetiva e o dinheiro imediatamente sai da conta da vítima e vai para as contas escolhidas pelo autor. Utiliza normalmente conta de “laranjas” que imediatamente sacam o dinheiro ou transferem para outras contas, como forma de pulverizar e diluir a quantia, para dificultar o rastreamento e bloqueio dos valores integralmente.

Quando não existe valor expressivo na conta do idoso, o autor contrai empréstimos em nome da vítima, deixa a solicitação pronta na máquina, só esperando a confirmação da biometria da vítima.

Quando o idoso coloca o dedo, acreditando estar cadastrando sua biometria, autoriza a transação com a sua digital e efetiva a fraude planejada pelo criminoso.

Data do golpe e agência bancária onde ocorreu:

01- 01/05/2020 (agência 3164) – Itapema Meia Praia;

02- 24/05/2020 (agência 5271) Atlântico Sul;

03- 13/03/2021 (agência 3013) Barreiros/São José;

04 -13/03/2021 (agência 1408) Imbituba;

05- 13/03/2021 (agência 0201-00) Tubarão;

06- 27/03/2021 (agência 5314) Paulo Lopes;

07- 27/03/2021 – agência 0201 Tubarão;

08- 28/03/2021 – agência 5362 Centro Palhoça;

09- 28/03/2021 – agência 1489 Balneário Camboriú;

10- 02/04/2021 – agência 4229 Navegantes;

11- 02/04/2021 – agência 3432 Escola Agrícola – Blumenau;

12- 27/05/2021 – agência 2638 São José;

13- 03/06/2021 – agência 0201 Tubarão;

14- 03/06/2021 – agência 2723 Tijucas;

15- 03/06/2021 – agência 5314 Paulo Lopes;

16- 04/06/2021 – agência 0201 Tubarão;

17- 04/06/2022 – agência 2638 São José;

18- 03/07/2022 – agência 3126 Garcia/Blumenau;

19- 11/09/2022 – agência 3257 Balneário Piçarras;

20- 05/11/2022 – agência 1498 Barra Velha;

21- 19/11/2022 – agência 2095 Guaramirim;

22- 14/01/2023 – agência 2307 Xv De Novembro/Blumenau;

23- 14/01/2023 – agência 3257 Balneario Piçarras;

24- 29/01/2023 – agência 1498 Barra Velha;

25- 11/02/2023 – agência 3047 Capoeiras/Florianópolis.

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.