Você já deve ter ouvindo falar que a falsa comunicação de um crime é crime. Parece redundante, mas é isso mesmo. Nesta terça-feira (4), uma ocorrência desta natureza terminou em prisão, em Araquari, no Litoral Norte de Santa Catarina.

Tudo aconteceu depois que um morador de 49 anos procurou a Delegacia da Polícia Civil para registar um suposto furto a seu veículo. Ele prestou depoimento e conseguiu fazer o Boletim de Ocorrência.

Na delegacia, o homem disse que já sabia onde o veículo supostamente furtado estava. Os policiais desconfiaram, mas foram até o local. Lá os agentes conversaram com outras pessoas que relataram que a situação não era a de um furto, como foi dita pelo denunciante.

Ao ser desmascarado, o homem confessou ter vendido o carro a uma terceira pessoa que não teria honrado com o pagamento combinado. Com receio de não reaver seu veículo, o morador de Araquari resolveu registrar falsamente a ocorrência do furto para que a polícia recuperasse o carro.

Ele acabou preso em flagrante.

A Polícia Civil orienta o cidadão para que não busque na atividade policial, a solução de negócios mal-conduzidos. É comum que após um negócio que não deu certo, o cidadão busque a polícia, noticiando falsamente a ocorrência de furtos e estelionatos para solucionar seus problemas.

Essas situações devem ser resolvidas em outras esferas, segundo os policiais, por meio de acordos, como ação de cobrança, por exemplo.

Quer receber as notícias no WhatsApp?