A decisão foi tomada pelo Conselho de Sentença, em sessão do Tribunal do Júri | Foto Divulgação/TJSC
A decisão foi tomada pelo Conselho de Sentença, em sessão do Tribunal do Júri | Foto Divulgação/TJSC

Um homem foi condenado a 27 anos de prisão pelo homicídio de sua namorada e por tentativa de homicídio contra uma segunda vítima. A decisão foi tomada pelo Conselho de Sentença, em sessão do Tribunal do Júri realizada na última sexta-feira (15/2), na comarca de Tubarão. Os crimes aconteceram nos dias 14 e 15 de março de 2015 na cidade-sede da comarca.

O réu, de 30 anos, mantinha um relacionamento com a jovem, na época com 17 anos, há cerca de um ano. Porém, por conta de ameaças, ela teria decidido ir embora para a casa de familiares no Paraná, e o homem subitamente teria concordado em levá-la ao terminal rodoviário.

No trajeto, motivado pela crença de que ela tinha um caso com seu patrão, o réu cobrou explicações da jovem e teria dado um soco em seu rosto, o que a levou a desmaiar. Após, o homem teria asfixiado a vítima, ainda desacordada, com a alça da bolsa que ela usava. Ele escondeu o corpo da jovem em uma plantação de arroz na localidade de Congonhas.

Já no dia seguinte ao homicídio, o homem teria saído a trabalho com seu patrão e colegas profissionais, de carro, em direção a outra cidade. Após a saída dos colegas do automóvel, ele teria alegado estar passando mal e solicitado que seu chefe parasse o carro. Segundo os autos, o réu trazia uma faca escondida consigo e desferiu um golpe no pescoço da vítima. Após luta corporal, o homem conseguiu fugir.

O réu foi condenado por homicídio quadruplamente qualificado - motivo torpe, asfixia, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio - e ocultação do cadáver da jovem, e pela tentativa de homicídio qualificado - por motivo torpe e dissimulação - contra o ex-patrão.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?