Um homem foi assassinado logo depois que a esposa anunciou que estava grávida, durante a lua de mel.

O promotor de Justiça paraguaio Marcelo Pecci, de 45 anos, foi morto a tiros em uma praia de Cartagena, na Colômbia, na terça-feira (10), minutos depois que a esposa e jornalista Claudia Aguilera anunciou que estava grávida na internet.

Claudia postou uma foto de pequenos sapatos vermelhos com o casal abraçado ao fundo, onde dizia estar recebendo seu "melhor presente".

"O melhor presente de casamento é... a vida te aproximando do mais belo testemunho de amor", escreveu a jornalista.

Na mesma postagem, os internautas desejaram os pêsames para Claudia. O casal tinha se casado no dia 30 abril e estavam em plena lua de mel. Em comunicado, o Decameron Hotels informou que Marcelo e Claudia estavam em Isla de Barú, quando os assassinos chegaram de jet-ski.

Nas redes sociais, a jornalista vinha fazendo uma série de registros da lua de mel do casal. Há cinco dias, ela postou um vídeo do casamento com o promotor, acompanhado da legenda:

"'A vida te deu o homem que você merece', 'Deus tem formas curiosas de unir as pessoas', são algumas das expressões que ouvi quando me falaram do Marcelo e do sentimento que nos uniu em tão pouco tempo. Me sinto abençoada e ansiosa para viver essa felicidade com intensidade, confiando que juntos tudo será possível...'

Pecci era responsável por investigar as redes de narcotráfico no Paraguai. O general Jorge Luis Vargas, chefe da polícia colombiana, informou que uma "comissão de oficiais" do país integrará a equipe de investigação da Colômbia. De acordo com ele, as investigações terão apoio de autoridades americanas.

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, reagiu à morte do promotor.

"Toda a nação paraguaia lamenta o covarde assassinato do promotor Marcelo Pecci na Colômbia. Condenamos este trágico acontecimento com a maior veemência e redobramos nosso compromisso de lutar contra o crime organizado"