O crime que resultou na morte de dois suspeitos de arrombamento ao Banco do Brasil de Piçarras continua sendo investigado pelas Polícias Civil e Militar no maior sigilo. Desde que ocorreu o fato, a imprensa geral tem enfrentado muitas dificuldades para conseguir informações. Por enquanto o que se sabe é que, além dos suspeitos mortos, mais três pessoas confundidas com os bandidos foram alvejadas, uma deles gravemente ferida. A reportagem do Jornal de Joinville está desde quinta-feira (16), tentando falar com o Departamento de Comunicação da Polícia Militar de Florianópolis, mas ninguém fala nada, virou um jogo de empurra-empurra. Na delegacia de polícia de Piçarras, Polícia Militar, Delegacia Regional de Polícia de Itajaí e até mesmo em outras delegacias do Estado a reportagem também tentou informações, mas o silêncio continua. Somente nesta sexta-feira (17) foram realizadas mais de 10 ligações para a delegacia de Piçarras, mas a informação é que o delegado não se encontrava. Já na Delegacia de Itajaí, o delegado estava mas não atendeu. Segunda uma funcionária, ele estava numa reunião, provavelmente tenha demorado a tarde toda, pois a reportagem ligou inúmeras vezes. Nem mesmo os nomes dos assaltantes mortos foram revelados até o momento. No Instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú ninguém atende o telefone, e no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, onde a vítima alvejada se encontra hospitalizada não dão informação por telefone.
Policiais se depararam com os assaltantes assim que chegaram no banco | Foto Divulgação Jornal de Joinville
Uma pessoa que falou com a reportagem mas pediu sigilo, contou que hoje pela manhã duas testemunhas prestaram depoimento na delegacia de Piçarras, mas o jornal fez contato com a delegacia também pela manhã, e foi informada que o delegado Wilson Masson não se encontrava. O crime aconteceu por volta das 3 horas da madrugada de quinta-fira (16). Os suspeitos chegaram na agência do Banco do Brasil, na avenida Nereu, em vários carros. Ao serem abordados, eles reagiram e dois caixeiros foram mortos a tiros. Várias armas e diversos materiais usados para arrombar caixas eletrônicos foram apreendidos pela polícia. Leia mais: Caixeiros são mortos em confronto com a PM em Piçarras