Um homem de 39 anos é acusado de tentar atear fogo no filho, um bebê de dois meses, por não aceitar o fim de seu casamento com a mãe da criança. O caso teria ocorrido em março de 2017, no bairro Jarivatuba, em Joinville, e será julgado nesta quarta-feira (18), no Tribunal do Júri da Comarca de Joinville.

A sessão de julgamento começa às 9h e será presidida pelo juiz Gustavo Aracheski. O promotor desta sessão será Ricardo Paladino. O homem responderá por tentativa de homicídio.

Segundo a acusação do Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC), na manhã de 15 de março de 2017, o réu pegou uma garrafa com álcool e despegou grande quantidade da substância sobre o próprio filho, na época um bebê de dois meses de idade.

O menino estava no colo da mãe e, segundo consta na denúncia do MP, a intenção do homem era atear fogo nas vítimas. A ação não aconteceu, ainda de acordo com a denúncia, porque no momento em que o homem jogou o álcool, a mulher desferiu um golpe que atingiu seu rosto.

Ainda consta no processo que, nesse momento, a avó paterna pegou o bebê e, junto com a mãe da criança, saiu da residência para procurar socorro. Os três foram amparados por um vizinho, que prestou socorro ao bebê, que estava se afogando com o álcool e apresentava grande dificuldade para respirar, segundo a denúncia do MP.

De acordo com o Ministério Público, o delito ocorreu por motivo fútil, porque o denunciado agiu motivado por não aceitar o fim do relacionamento com a mãe da criança. Além disso, a denúncia destaca que o réu, "para o cometimento do delito, se utilizou de meio cruel, já que pretendia matar as vítimas com fogo".

O acusado foi preso na época da acusação, mas foi solto no mesmo ano e aguarda o julgamento em liberdade.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger