Um helicóptero foi sequestrado em Angra do Reis (RJ) para resgatar um detento que estava no presídio em Bangu. O caso aconteceu na tarde deste domingo (19).

O piloto da Polícia Civil, Adonis Lopes, estava fazendo uma viagem particular quando logo após a decolagem, os bandidos o renderam com dois fuzis e o ordenaram a pilotar até o Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio.

Ele teve que pensar em um plano para não ir até o presídio. Segundo a polícia, Adonis disse "Isso não vai acabar bem, vão atirar no helicóptero", porém foi em vão.

Então, ele foi até o campo de futebol ao lado do 14º Batalhão da Polícia Militar, em Bangu. Quando os bandidos perceberam a ação do piloto, um deles o rendeu com um golpe de gravata e o outro tentou tomar o controle da aeronave.

Nesse momento, como é possível ver nas imagens, o helicóptero estava desgovernado em cima do batalhão. Enquanto isso, Adonis teria entrado em combate com um dos bandidos.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, o piloto contou que os criminosos ficaram atônitos por conta das manobras do helicóptero.

Após a luta corporal e discussão com os sequestradores, a dupla desistiu do resgate do comparsa encarcerado e ordenou Adonis a pilotar até Niterói.

Assim que os bandidos desceram da aeronave, ele levantou voo e foi até o Grupamento Aeromóvel (GAM), em Niterói.

Agora, o caso está sob investigação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco).

Coragem

Na manhã desta segunda-feira (20), Adonis disse ao Bom Dia Rio que não aceitaria fazer parte de um crime.

"Disseram que nada ia acontecer comigo, mas é lógico que eu sabia que haveria uma reação e que o resultado seria trágico. Eu tenho certeza que se eu fosse ao presídio ia acontecer isso [uma tragédia]. Além do mais, eu não ia conviver com estigma de resgatar bandido", declarou Adonis.

Foto: Reprodução.

“Imaginei que aquele pudesse ser meu último voo”, finalizou.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp