O comandante da Guarda Revolucionária do Irã, Amirali Hajizadeh, disse que os ataques com mísseis a alvos norte-americanos no Iraque não visavam à morte de soldados dos Estados Unidos, mas sim danificar a "máquina militar" de Washington, acrescentando que foram o início de uma série de ataques pela região, informou a TV estatal.

Hajizadeh, chefe da Força Aérea, também afirmou que a "vingança apropriada" pelo assassinato do general Qassam Soleimani seria expulsar as forças norte-americanas do Oriente Médio, segundo a TV estatal.

Imagens feitas por satélite mostram danos significativos em edifícios da base aérea AlAsad no Iraque, que abriga tropas americanas e foi atacada pelo Irã, no que os analistas dizem que poderiam ser hangares e locais em que equipamentos eram guardados. Ou seja, novos ataques estão previstos.

Nas fotografias, tiradas pela empresa americana Planet e fornecidas pelo Instituto de Estudos Internacionais de Middlebury (Monterey, Califórnia), pode-se ver que pelo menos cinco instalações foram danificadas pelo ataque à base, localizada na província iraquiana de Al Anbar, no oeste do país. Até o momento, o Pentágono ainda não publicou imagens próprias.