A Polícia Civil alerta para a ocorrência do golpe do WhatsApp clonado em Jaraguá do Sul. Os estelionatários conseguem enganar os usuários do aplicativo para conseguir os códigos de verificação e, desse modo, para instalar a conta em outro celular.

A partir daí, o golpista se passa pelo titular da conta para aplicar golpes em parentes e amigos. Foi o que aconteceu com um educador físico de Jaraguá do Sul. Ele teve a conta no WhatsApp clonada e um dos amigos chegou a depositar R$ 2,8 mil em uma conta do estelionatário.

Ele afirma que recebeu uma ligação com o prefixo 11 no celular. Com recebia muitas chamadas de São Paulo, acabou atendendo o telefone. O estelionatário afirmou que era assessor de imprensa de uma banda de um amigo da vítima.

“Ele usou uma história muito convincente dizendo que iria fazer um show de abertura da turnê no início de janeiro e que me colocaria como presença VIP. Ele falou que iria me mandar um e-mail para confirmação. Como não recebi o e-mail, ele pediu um código por SMS”, afirma.

Atenção com os códigos

O delegado regional Fabiano dos Santos Silveira afirma que o número de golpes envolvendo a clonagem do WhatsApp vem crescendo não só em Jaraguá do Sul, mas em todo o Estado. A Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Santa Catarina emitiu um alerta para o golpe.

“No início de 2020, a gente verificou que cresceu o número de golpes mediantes a clonagem do WhatsApp. Nós alertamos a população para que tenha bastante atenção, principalmente quando receber mensagens estranhas de amigos pedindo dinheiro ou transferências bancárias”, destaca Fabiano.

Fabiano ressalta que é preciso fazer um filtro e não atender pedidos feitos pelo aplicativo sem fazer uma verificação minuciosa. Um dos meios de evitar ser lesado neste de tipo de golpe é entrar em contato com a pessoa que fez o pedido da transferência bancária pessoalmente ou por ligação telefônica.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram