O goleiro da Chapecoense Marcos Danilo Padilha não resistiu aos ferimentos e morreu em um hospital da Colômbia, após ser resgatado de um acidente aéreo nas proximidades de Medellín, nesta terça (29). A informação veiculada pela imprensa colombiana partiu da Cruz Vermelha e da empresa de logística que estava em contato com a equipe de futebol da Chapecoense. Marcos Danilo era um dos seis sobreviventes do desastre de avião, que fazia um voo charter com 81 pessoas a bordo, incluindo a equipe de futebol brasileira Chapecoense, de Santa Catarina, que ia disputar a final da Taça Sul-Americana com uma equipe colombiana. Em comunicado, o aeroporto de Medellín informou que o avião, com matrícula da Bolívia, "declarou-se em emergência" às 22h locais "por falhas técnicas", de acordo com a transmissão feita para a torre de controle. O avião tinha saído do aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde tinha feito uma escala técnica.