Texto: Rosana Ritta Foi entregue aos cuidados da Polícia Ambiental o gato-do-mato maracajá que foi resgatado no início desta semana pelo Corpo de Bombeiro Militar na Estrada Geral do Ervino, em São Francisco do Sul, no Litoral Norte catarinense. O animal foi atropelado e apesar de não ter grandes ferimentos aparentes estava muito agressivo. Tanto que os relatos informam que o responsável pelo resgate saiu todo arranhado. Inicialmente, os resgatistas pensaram se tratar de uma jaguatirica, mas depois foi constatado que possivelmente trata-se de um gato maracajá, que tem nome científico de Leopardus wiedii e, segundo especialistas, é mais raro de ser encontrado que a jaguatirica. Os gatos maracajás têm como característica a pele muito semelhante a das onças e o fato de terem um rabo muito comprido. Eles pertencem a uma espécie rara e que assim como outras seis espécies de felinos brasileiros está ameaçada de extinção. Tem hábitos noturnos e não costuma aparecer nas áreas urbanas. Até meados da década de 1980, a caça para o comércio de sua pele era a principal ameaça. Hoje, o desmatamento e o isolamento genético das populações surgem como causa mais provável.