jg Um boato sobre a morte de uma, duas e até três crianças em um pronto-socorro de Jaraguá do Sul está circulando nas redes sociais de leitores do Aconteceu em Jaraguá do Sul, principalmente nos grupos de WhatsApp, nos últimos dois dias. A falsa notícia conta que a ingestão de um achocolatado teria causado a fatalidade. A mentira está alarmando sem necessidade os internautas. Neste domingo (28), o Aconteceu em Jaraguá do Sul entrou em contato com funcionários dos dois hospitais da cidade. Uma enfermeira do hospital São José afirmou que a unidade não atende crianças e que todas as ocorrências infantis são encaminhadas para o hospital Jaraguá. Uma médica do Hospital do Morro desmentiu a história e disse que o caso não aconteceu. Três áudios e algumas mensagens estão circulando pelas redes sociais, mas elas não dão informações concretas sobre o ocorrido. Os áudios não mencionam quando ocorreram os fatos ou mesmo o nome do hospital onde aconteceram as mortes. Em uma pesquisa rápida no Google, descobrimos que a história aconteceu em Cuiabá, capital do Mato Grosso. A notícia do portal G1 conta que uma criança de dois anos morreu após ingerir um achocolatado da marca Itambé, na quinta-feira (26). Essas histórias são facilmente desmentidas. Então, a dica é não compartilhar boatos sem uma confirmação do fato. Confira (novamente) como identificar uma falsa notícia: 1 – Falta de fontes Essa é a principal dica para identificar uma mentira online. Os autores raramente mencionam a fonte das informações postadas, mas costumam dar créditos a nomes de instituições e pessoas que supostamente entendem do assunto para conseguir mais credibilidade. Por isso, quando se deparar com alguma informação duvidosa, faça uma busca rápida no Google, para checar se a notícia realmente foi divulgada ou se a fonte citada existe. Caso não encontre nada contundente, com certeza você está diante de um boato. 2 – Links suspeitos Quando algum conhecido postar uma notícia interessante na rede social, não leia apenas o título. Cheque o site onde essas informações foram publicadas. Existem inúmeros blogs e sites que você consegue identificar se é confiável apenas pela aparência. Na dúvida, procure sempre saber se essa notícia foi publicada em jornais e revistas conhecidas. 3 – Textos confusos Essa dica é bem fácil de identificar. Os autores desses boatos nunca estão preocupados com a gramática e coerência de seus textos. Além disso, eles utilizam termos conspiratórios e letras em caixa alta para chamar a atenção do leitor. Sendo assim, se você encontrar muitos erros de português e imagens muito chamativas, você pode estar diante de uma farsa. 4 – Baixa qualidade Os autores de boatos na internet também não estão preocupados com a qualidade visual do conteúdo postado. Muitas das imagens compartilhadas possuem montagens mal feitas e fotos em baixíssima qualidade. Esse é um forte indício de que o post não é confiável. 5 – Sem data A maioria dos boatos não são datados justamente para que o leitor tenha sempre a impressão de que a notícia é nova. Por conta disso, esses eles são capazes de sobreviver por anos na web, sendo compartilhados constantemente. 6 – Tom alarmista Muitas das informações falsas divulgadas na internet trazem mensagens solicitando que o post seja compartilhado com urgência e para o máximo de pessoas. A maioria dessas farsas também insinua um clima conspiratório, além de misturar fatos reais com fictícios para confundir o leitor.