A Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente está investigando um crime ambiental ocorrido no último fim de semana no Rio Cerro I e que afetou os rios Cerro e Jaraguá. Na manhã de segunda-feira (6), os técnicos praticamente encontraram a origem dos efluentes que foram despejados no rio sem o devido tratamento.

A denúncia de que havia produtos possivelmente poluentes na água do rio Cerro chegou ao conhecimento das equipes de Defesa Civil e Fujama ainda no começo da noite de sábado (4). No entanto, a situação se agravou no domingo, causando mortandade de peixes. Durante o fim de semana foi feito acompanhamento e iniciado o processo de investigação. Ainda no domingo, o fato foi informado ao Ministério Público, Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) e ao Samae.

Crime ambiental causou mortandade de peixes em Jaraguá do Sul | Foto PMJS/Divulgação

Na manhã desta segunda-feira (6), o presidente da Fujama, Normando Zitta Junior, e o Diretor de Defesa Civil, Hideraldo Colle, estiveram no Rio Cerro acompanhando os trabalhos. De acordo com Normando Zitta Junior, foram coletadas amostrar de água em pelo menos oito pontos do Rio Cerro e de afluentes.

“Fizemos o mapeamento da região e identificamos que os produtos que provocaram o dano ambiental vieram da tubulação da Rua Willy Günther. Como existem várias empresas naquela região, fizemos a coleta de água e encaminhamos para análise, com a intenção de saber que tipo de produto foi despejado inadequadamente na rede pluvial”, explica o presidente da Fujama.

O resultado das análises deve ser conhecido em duas a três semanas. Após a comprovação da origem, a Fujama dará três encaminhamentos ao caso, segundo Zitta. O primeiro é aplicar as sanções administrativas com multa que varia entre R$ 50 mil e R$ 1 milhão, dependendo da extensão dos danos ambientais causados. O seguinte, será a abertura de um inquérito criminal por parte da Polícia Civil e, por fim, será feito comunicado oficial sobre o ocorrido ao Ministério Público.

“Estamos sendo bem cautelosos para não cometer injustiças, mas lamentamos o fato, já que prezamos pela limpeza dos rios e fazendo um esforço para manter a cidade limpa”.

De acordo com a Fujama, não foi possível estimar quantos peixes morreram em função da alteração do PH da água.

Quer receber as notícias no WhatsApp?

*Com informações da Prefeitura de Jaraguá do Sul.