Um caso curioso foi registrado pela Fujama (Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente).

Uma cobra-coral engoliu outra serpente maior do que ela.

O animal foi capturado pelo biólogo Christian Raboch há alguns dias e estranhou algumas “bolas” no corpo dele.

Christian buscou informações com herpetólogos, especialistas em répteis e anfíbios.

Alguns levantaram a hipótese de ser um calo ósseo.

Foto: Christian Raboch/Arquivo Pessoal

O animal ficou dentro de uma caixa para ser solto e, nesta segunda-feira (8), o biólogo teve uma surpresa.

“Eu coloquei a cobra numa caixa para soltar no outro dia. Quando eu entrei na sala, senti um cheiro muito forte, de animal podre. Aí, eu abri a caixa e vi que ela tinha vomitado uma dormideira de 41 centímetros. A coral tinha em torno de uns 30 centímetros”, comenta.

O biólogo destaca que não são todas as serpentes que se alimentam de outras cobras. Muitas se alimentam de ratos, aves, morcegos, peixes e sapos.

Porém, a cobra-coral tem o costume de comer outras cobras.

“Essa cresceu o olho e se alimentou de uma maior que ela”, frisa.

Foto: Christian Raboch/Arquivo Pessoal

O animal acabou vomitando a outra serpente porque viu que não iria conseguir fazer a digestão.

Christian reitera que é um fato curioso porque, geralmente, a cobra-coral se alimentam de serpentes menores que ela, ou seja, que caibam no corpo.