Em Porto Belo, há 20 desalojados (Foto: Defesa Civil de Porto Belo/Divulgação)
Cerca de 20 pessoas, de seis famílias, foram desalojadas nesta sexta-feira (25) nos bairros Perequê e Vila Nova em Porto Belo, no Litoral Norte de Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil do município, choveu forte das 6h até as 12h, o que rendeu acumulados de 120 mm, o equivalente a 15 dias de chuva.
O rio Perequezinho transbordou e invadiu as casas do bairro Vila Nova, próximas ao manancial. Moradores relataram à Defesa Civil que a água chegou a atingir 1 metro de altura dentro das residências. Alguns ergueram os móveis para evitar o contato com a água, outros removeram quase toda mobília em caminhões da Defesa Civil para a casa de parentes.
“Esperamos que até as 16h30, a maré baixe, e com isso, o rio que escoa para o mar poderá eliminar a água da chuva que atingiu a casa das pessoas”, explicou André da Silva, coordenador municipal de Defesa Civil.
No bairro Perequê, as famílias desalojadas moram em um loteamento sem tubulação, que enfrentou uma disputa judicial após invasões de propriedade. “Agora a situação dessas famílias já está regularizada, mas o local conta apenas com a absorção natural do solo, que é insuficiente para dar vazão a tanta água”, disse Silva.
Conforme o coordenador, uma reunião acontecerá ainda nesta tarde de sexta com o Corpo de Bombeiros, para mapear os prejuízos causados pela chuva e dar uma resposta para a população.
Itapema
Em Itapema, a chuva forte alagou ruas dos bairros Centro e Morretes, afirmou o agente de Defesa Civil municipal Walmir Franco. Ele relatou que os rios Fita, Bela Cruz, Perequê e Fabrício estão com a vazão no limite.
Até as 16h, não havia sido registrado nenhum desalojado ou desabrigado e a água ainda não havia chegado na casas, apenas no quintal, afirmou Franco. Porém, a Defesa Civil já ajudava moradores a levantaram móveis e monitora o tempo para avaliar se utiliza o plano de contingência para levar as pessoas para um alojamento.
Ainda chovia em Itapema e há mais previsão de chuva para esta sexta e sábado (26). Também não houve registro de deslizamentos. Franco orientou para que os moradores acionem a Defesa Civil em qualquer emergência pelo telefone 199.
Outros municípios
Segundo a Defesa Civil estadual, também foram registrados alagamentos em Balneário Camboriú e Barra Velha. Neste último município, há uma família desabrigada.
"Choveu bastante, mais de 111 milímetros em 24 horas, quando temos um média mensal de 130 a 150 milímetros. Isso nos assusta um pouco", resumiu o coordenador municipal de Defesa Civil de Barra Velha, Jadiel Veigsding.
As marés subiram à tarde e os córregos da cidade transbordaram, como sempre ocorre quando chove na cidade. Porém, com o grande volume de chuva, o alagamento chegou nas casas. Às 18h, havia residências com 50 centímetros de água.
O bairro Itajuba foi o mais atingido. Nele, 50 casas em 12 ruas foram as que tiveram os maiores problemas, como o nível de 50 centímetros de água. A família que ficou desabrigada foi para a Escola Básica Manoel Antônio de Freitas, no mesmo bairro, onde recebem alimentação e colchões. São sete pessoas.
Outras 10 famílias ficaram desalojadas. Além das 12 ruas mais atingidas, outras 30 registraram alagamentos, também em outros bairros.