Um jovem, de 18 anos, atirou contra o próprio pai, para defender a mãe, que sofria agressões do homem de 51 anos. O caso aconteceu em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina e foi registrado próximo das 22h de sábado (3), no bairro São Cristóvão. As informações são do NDMais.

Em conversa com a equipe de reportagem da NDTV, o Major Fernando, da Polícia Militar informou que o jovem agiu em defesa da mãe, que estava sendo agredida pelo marido. Depois da ocorrência, a mulher solicitou medida protetiva de urgência contra o companheiro, o homem está impedido de se aproximar dela.

O Major ainda informou que foram registrados oito disparos contra o homem, mas somente quatro o acertaram. “Ele está no hospital, mas não corre risco de morte”.

No local a guarnição encontrou o jovem com um revólver, calibre 357, com quatro munições intactas e uma deflagrada, ao lado dele estava a mãe. O filho contou que o pai tinha armas, munições e explosivos no apartamento.

Após ser detido e passar por uma audiência de custódia. O Jovem foi liberada e espera pela investigação do caso. Já o homem foi preso, ainda no hospital, pela posse das armas, munições e explosivos. A Polícia Civil investiga o caso.

Explosivos em apartamento

Por conta do risco de explosão, o esquadrão antibombas do Bobe (Batalhão de Operações Policiais Especiais), de Florianópolis, foi chamada para verificar os artefatos encontrados no apartamento. A ocorrência aconteceu no domingo (4) às 11h.

Os operadores precisaram usar trajes especiais antibombas para atuar na investigação e coletar os materiais com segurança. O 1° Sargento do Bope, José Leandro de Oliveira, contou que no local estavam explosivos, os quais são utilizados em detonação de pedreiras.

Os artefatos, segundo o Sargento, são de comercialização restrita, limitada a empresas que trabalham com detonação de rochas e são altamente perigos. Para adquirir existem profissionais técnicos cadastrados e não podem ser comprados por qualquer pessoa.

Para realizar a investigação não foi preciso evacuar os moradores do local, porque o material estava desmontado, o que ajudou no procedimento. Mas, quando juntado todos os itens, mostrou uma bomba e apresentou risco.

“Agora faremos o trabalho de análise do material para identificar a origem e apurar como o suspeito teve acesso aos explosivos”, disse o Sargento. O material conta com número de série e fabricante, por meio desses dados será possível chegar à origem do produto.

Ainda não se sabe quanto a origem do material, nem de como o homem adquiriu os explosivos. O caso segue para a Polícia Civil que irá fazer a investigação.

Apreensão no apartamento

Com a informação do jovem, a guarnição revistou o apartamento e encontrou um revólver, de calibre 38, com registro vencido e uma espingarda, de calibre 22, com luneta e silenciador, onde não foi apresentado registro. Além disso, foram encontradas 66 munições de calibre 22 e 42 munições de calibre 38.

Também foi localizado pela guarnição uma “banana” de dinamite com o cordel de detonação e seis espoletas. Os policiais relataram que poderia haver mais explosivos, porém, devido ao risco de explosão, o artefato não foi manuseado pela guarnição. Nesse momento foi acionada a equipe do COBRA, do Bope de Florianópolis, que irá até Chapecó para realizar o manuseio dos artefatos.

Foram localizados ainda dois coletes balísticos, máquina de recarga de munições, diversos estojos, pólvora e projéteis utilizados para recarga, uma coronha de espingarda feitos artesanalmente e um cano de espingarda, também artesanal.