Foto Divulgação
Foto Divulgação

A morte de Agenor Della Bruna, de 69 anos, assassinado a facadas na última quarta-feira (9) está praticamente esclarecida, garante a Polícia Civil de Balneário Rincão. Segundo a polícia, a filha de 34 anos do idoso teria planejado o crime e outras quatro pessoas, entre elas um adolescente, são suspeitas de participação na morte.

Neste sábado (12), a Justiça decretou a internação do adolescente, que confessou o crime. Além dele, um outro suspeito também confessou participação no latrocínio – roubo seguido de morte.

As investigações apontam que a filha do idoso tocou o interfone e pediu para que o pai abrisse o porão, momento no qual os quatro suspeitos entraram na residência, roubaram objetos da casa e da vítima e o levaram para um matagal em Nova Veneza, município a cerca de 50 km da casa de Agenor. Lá ele foi amarrado e atingido por facadas no peito e na nuca. Os suspeitos ainda colocaram fogo na casa e no carro do idoso.

O crime teria sido motivado porque a filha queria ficar com a herança. Ela teria atraído os demais suspeitos afirmando que o pai mantinha mais de R$ 100 mil em casa e esse valor seria dividido, porém, o dinheiro não foi encontrado.

Segundo a polícia, a única dúvida que resta é saber quem foi o responsável pelos golpes que mataram o idoso, mas para os policiais, o crime está totalmente esclarecido. A polícia irá pedir ainda a prisão dos outros quatro suspeitos, que devem responder por latrocínio, formação de quadrilha, ocultação de cadáver e corrupção de menores.

--

Quer receber as notícias no WhatsApp?