O próximo Femusc (Festival de Música de Santa Catarina) ocorre só em 2018, porém, a movimentação para o festival começa com mais força a partir de desta semana. Tudo isso porque de quinta-feira (10) até o dia 10 de setembro, a organização recebe as inscrições dos musicistas interessados em participar do maior festival-escola da América Latina. Na 13ª edição do Femusc devem participar 380 alunos, sendo que as vagas são para os programas de nível intermediário e avançado, além de ópera, canto lírico e quartetos, em turmas nos instrumentos de cordas, metais, madeiras e percussão, além de harpa, piano e violão clássico. No programa de canto lírico, há vagas para sopranos, tenores, barítonos e baixos e, no canto lírico, ainda são adicionadas à lista vozes de contralto, contratenor e mezzo soprano. Os interessados em participar do Femusc devem acessar o site  e preencher a ficha de inscrição. Conforme o diretor artístico, Alex Klein, o aumento de vagas em 2017 foram disponibilizadas 300 vagas refle as necessidade dos corpos artísticos do festival. “Em 2018, excepcionalmente, temos dois eventos que requerem um número maior de participantes em alguns setores. A Sinfonia Alpina, de Richard Strauss, irá necessitar de 24 trompistas e temos também a Sinfonietta e a Banda Sinfônica para alimentar. Assim, abrimos 32 vagas para o instrumento cerca de 20 vagas a mais do que em 2017. A outra questão é a ópera La Bohème, que necessita 20 vagas de cantores dedicados a este evento”, explica. Quanto ao enfrentamento à crise econômica, o maestro diz que tem sido feito com apoio do empresariado local. “O Femusc é gerido de forma exemplar e responsável e acredito que a tendência será a de manter o festival de janeiro por volta dos 300 e poucos alunos, independentemente de fatores econômicos”, enfatiza. Em 2018, o festival ocorre de 14 a 27 de janeiro com a expectativa de atingir um público de 65 mil espectadores nos mais de 200 concertos gratuitos. Até o momento, o o repertório conta com obras como a Sinfonia Alpina, da Richard Strauss, o Requiem, de Wolfgang Amadeus Mozart, as sinfonias nº4, de Johannes Brahms, e n.8, de Antonin Dvorak, e, ainda, a ópera La Bohème, de Giacomo Puccini. As estrelas da edição serão os professores Ole Bohn, Per Nyström, Laura Ruiz Ferreres e Catherine Larsen-Maguire. Reportagem de Heloísa Jahn para o jornal O Correio do Povo