Principal suspeito de assassinar Thalia Ferraz na véspera do Natal, Paulo Hening confessou nesta segunda-feira (28) ter cometido o crime no último dia 24 de dezembro.

Mas antes de se entregar à Polícia de Jaraguá do Sul, o homem de 42 anos ficou três dias foragido.

De acordo com a investigação, o autor se escondeu em uma região de mata, no bairro Rio Cerro I, logo após efetuar os disparos contra Thalia.

Por lá, ele permaneceu até o início da manhã do dia 25, quando pegou seu carro e empreendeu fuga para a região Oeste do Paraná.

Durante esse período, Hening ficou em cidades pequenas entre os municípios de Guarapuava e Laranjeiras do Sul, justamente a região onde ele nasceu e tem familiares.

Após a prisão temporária, decretada pela Justiça de Jaraguá do Sul, além de contatos com a família, o delegado regional Fabiano Silveira recebeu a ligação do advogado do autor, que manifestou o desejo do cliente em se entregar à Polícia, o que aconteceu na manhã desta segunda.

Das informações iniciais à prisão, a Polícia Civil de Jaraguá do Sul contou com apoio durante todo fim de semana do Centro Integrado de Operações de Fronteira do Ministério da Justiça e da Segurança Pública, em Foz do Iguaçu-PR, e das Polícias Civil e Militar do Paraná.

Até o término do inquérito policial, que deve ser concluído em 30 dias, Paulo Hening ficará preso no Presídio Regional de Jaraguá do Sul.

O crime

O crime ocorreu no dia 24 de dezembro, véspera de Natal, no bairro Rio Cerro I. Após ameaças pelo telefone, Paulo Hening foi até a casa de Thalia Ferraz, que morava ao lado, invadiu a residência e efetuou vários disparos com uma pistola calibre ponto 38.

A vítima teria tentado correr para o quarto, mas ele continuou atirando até atingi-la na altura do tórax.

Thalia não resistiu aos ferimentos e morreu no local, na frente de dois sobrinhos, de 14 e 8 anos. Já o acusado fugiu em uma camionete Amarok branca e estava foragido até então.

 

Telegram Jaraguá do Sul