Um reencontro emocionante aconteceu esta semana quando o policial militar Jonas Schramowsky voltou ver o recém-nascido que ele ajudou a salvar em Jaraguá do Sul. O encontro aconteceu cerca de uma semana após a criança ter se afogado com o leite materno em casa, no bairro Ilha da Figueira.

O soldado Jonas Schramowsky foi até o Hospital Jaraguá, onde o pequeno Bernardo, de apenas um mês de vida, está internado. O recém-nascido sofreu uma obstrução das vias aéreas durante a amamentação e ficou cerca de seis minutos sem respirar no dia 30 de setembro.

O PM conta que estava realizando rondas no bairro Vila Lenzi com o soldado Davi Rangel. A Central Regional de Emergências repassou a informação de que a criança se afogou com leite materno. Imediatamente, a guarnição seguiu para o endereço indicado pela central.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

“A central informou que estava repassando as informações para que os pais realizassem a manobra no recém-nascido, mas não estavam conseguindo êxito. Como era uma luta contra o tempo, a nossa guarnição deslocou em prioridade e, inclusive, tivemos que transitar em algumas ruas pela contramão de direção”, lembra.

Ao chegar no local, vizinhos sinalizavam onde estava o recém-nascido nos braços do pai. Schramowsky destaca que a criança estava roxa, pois ficou sem respirar por cerca de seis minutos.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

“Ao abrir a porta da viatura, o pai colocou o pequeno Bernardo em minhas mãos. Nesse momento, eu comecei a realizar a manobra de Heimlich para desobstruir as vias aéreas da criança e fazendo com que ela voltasse a respirar. Fiquei por cerca de 40 segundos fazendo a manobra e obtive êxito”, frisa o policial militar.

Schramowsky conta que a sensação de ver Bernardo respirando novamente foi maravilhosa. Ele conta que ficou muito comovido com a situação, pois nunca havia realizado esse tipo de salvamento.

“Eu fico muito feliz por ter salvado a vida do pequeno Bernardo porque tenho filhas. Como pai, eu fico sempre preocupado com qualquer queda, qualquer choro e fico imaginando os pais do Bernardo vendo toda essa situação ocorrendo com o filho deles”, pondera.

Pais estão agradecidos

Indianara Siqueira Reblin conta que Bernardo já teve o problema anteriormente. Com apenas sete dias de vida, ele se afogou com o leite materno e foi salvo por bombeiros voluntários. Depois da ocorrência em que foi salvo pelo PM, o recém-nascido teve um outro episódio e teve as vias aéreas desobstruídas pelo pai. O caso dele está sendo investigado pelos médicos.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

“Foi horrível, porque ele já estava ‘se passando’, né? Você vê o filho indo e, na verdade, eu não sabia fazer nada. Eu só conseguia chorar e pedir para Deus não levar ele. Quando eu vi o Bernardo respirando novamente, foi um grande alívio. Na hora que eu ouvi o choro dele, o meu coração deu uma aliviada”, pondera Indianara.

Ivonei Reblin conta que fica muito agradecido pelo empenho dos policiais militares em socorrer o filho em um momento tão difícil. Ele ressalta que o filho está bem graças ao ato de bravura do soldado Schramowsky.

“Eu tenho muito que agradecer e fico até sem palavras. O pessoal tem que confiar bastante nos policiais militares, pois eles estão ali para ajudar”, frisa o pai do recém-nascido.