O projeto Espelho Meu surgiu do anseio de fazer algo a mais pelas vítimas de violência doméstica e foi desenvolvido na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), da Polícia Civil de São José, com apoio da Prefeitura de São José por meio da Secretaria Municipal de Educação, da Escola Catarinense de Fotografia Câmera Criativa, da Escola Profissional de Campinas, empresários, profissionais voluntários, além da comunidade que apoiou a causa. A exposição é itinerante e está no hall de entrada prefeitura de São José.

Agente de polícia, Eleide Eli Brito foi uma das idealizadoras do projeto, que nasceu da observação de histórias de vida de diversas mulheres envolvidas em relações conjugais abusivas que, na maioria das vezes, as deixaram com profundas cicatrizes psicológicas, diminuido a autoestima e a autoconfiança.

A partir disto, a psicóloga policial, Clarissa Moreira Enderle e a agente de polícia, Eleide Eli Brito, que tinha como hobby a prática de fotografar, resolveram iniciar o projeto, no qual a linguagem fotográfica é utilizada como forma de superação das violências sofridas.

“Quando o projeto começou, elas eram mulheres que não conseguiam sorrir, e a fotografia foi uma ferramenta de fortalecimento para elas. Juntas elas se transformaram em exemplo para que outras mulheres se estimulassem a denunciar casos de violência, e nós obtivemos resultados além do que esperávamos”, contou Eleide.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?