A Divisão de Investigação Criminal da Polícia Civil em Itajaí cumpriu, nesta terça-feira (3), mandados de prisão, de busca e apreensão em investigação que apurou delitos de corrupção, tráfico de drogas e associação para o tráfico ocorridos no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí. Em investigação presidida pelo Delegado Weydson da Silva foi constatada a corrupção de um ex-agente prisional. Na época da investigação, o ex-agente atuava no Presídio da Canhanduba. As diligências demonstraram que uma mulher e seu irmão corromperam o ex-agente para que ingressasse com maconha e outros objetos destinados a um detento. Durante as visitas ao detento, a esposa “contratou” o ex-agente para ingressar com dois quilos de maconha no presídio e ainda fornecer tratamento privilegiado ao preso. A entrega da droga ao ex-agente e o pagamento de R$ 5 mil pelos crimes a serem praticados coube ao cunhado do preso. A investigação ainda demonstrou que o ex-agente reiteradamente praticou crimes da espécie dos investigados pela DIC. “Importante observar ainda que o detento que receberia a droga e tratamento diferenciado é um dos presos em investigação da DIC, e que resultou na apreensão de 1,5 tonelada de maconha em junho de 2017”, destaca o Delegado Weydson da Silva. O ex-agente foi preso em Canelinha. A mulher e o homem que corromperam o agente também foram presos. Durante cumprimento de mandado de busca na cela ocupada pelo preso, foi localizado um aparelho celular. Todos os envolvidos estão à disposição da justiça em unidades prisionais de Itajaí.