“Eu nunca vi ele triste, sempre alegre e sorrindo”, disse o estudante Luis Geovani Poltronieri, 15 anos, no velório do seu melhor amigo Hiago Garcia Lizidati, 14 anos, que acontece na capela três do Cemitério Borba Gato, em Joinville. Hiago morreu tragicamente na tarde deste domingo (3) enquanto guiava uma moto na pista do Brema, na Rodovia do Arroz km 12, em Joinville, no Norte catarinense. Muitos amigos, parentes e professores da Escola Municipal Paul Harris, onde o adolescente estudava foram até o cemitério para dar o último adeus ao adolescente que era considerado por todos como um exemplo de pessoa. “Ele sempre ajudava os outros, ajudava também o pai dele. Falava muito na sua grande paixão, que era moto BMX e bicicleta. Dizia que queria virar profissional”, conta o melhor amigo, Luis Poltronieri, emocionado. No domingo, conforme revelou, quase foi também até a pista de motocross, pois Hiago o convidou. “Mas eu tinha que ficar com meu pai, aí não deu”, diz o estudante. Revelou também que iria comprar uma moto de corrida no final de ano, mas agora mudou o seu pensamento. “Não sei se irei conseguir pegar”, diz. Luis lamenta o ocorrido, pois recorda que seu amigo nunca havia caído sofrido nenhum acidente, e de repente perde a vida desta forma. Não muito próximo de Hiago por estudar em turno diferente, o adolescente Gabriel Henrique Aimi, 13 anos, fala que Hiago era um garoto excepcional. A professora Josette Silveira da Silva foi professora de Hiago no primário. “Ele sempre foi um menino de ouro. Educado, querido, prestativo”, recorda, emocionada.
Luis era o melhor amigo de Hiago| Foto/ArleiZimmermann
Pai de Hiago teve pressentimento O pai de Hiago, Edélcio Lizidati,51 anos, contou à reportagem do Jornal de Joinville que teve pressentimento. “Das sete até oito horas de domingo ele ficou insistindo para irmos para a pista. Eu não queria ir. Fui por vontade dele”, diz, muito emocionado. Um filho presente, educado, estudioso, responsável, trabalhador, obediente, amigo, parceiro. É assim que o pai define Hiago que andou de moto pela primeira vez com apenas quatro anos de idade. Participando de provas de motocross estava há apenas seis meses. “Ele sempre foi apaixonado por moto”, revela o pai. O pai acredita que a hora do filho chegou, só pode ter sido isso. “A moto estava andando normal, Hiago andou e parou para descansar por várias vezes. E eu como sempre ali presente, acompanhando a paixão do filho”, diz. “Eu só vi quando a moto começou a derrapar. Quando olhei percebi que os raios começaram a ser soltar da roda, e ele foi perdendo o equilíbrio. Tu sai correndo, tentando socorrê-lo, eu a pé e de chinelo, e ele de moto, quando cheguei próximo ele passou por mim, e quando todos os raios se soltaram, a moto caiu de lado e bateu nele, causando a sua morte”, recorda o pai, muito emocionado. O sepultamento será nesta segunda-feira (4), às 16 horas, no Cemitério Vertical, no Municipal.
Professores, alunos, parentes e amigos estavam emocionados|Fotos/Arlei Zimmermann
Leia também: Adolescente morre tragicamente em pista de motocross às margens da Rodovia do Arroz