Uma quadrilha internacional foi presa após uma tentativa de furto de um avião em Guaramirim.

Informações da investigação feita pela DIC (Divisão de Investigação Criminal) da Polícia Civil em Jaraguá do Sul dão conta de que a aeronave seria levada pelo grupo para a Bolívia, onde a aeronave seria utilizada no narcotráfico.

Três brasileiros, um boliviano e um mexicano teriam participado da ação ocorrida no Aeródromo Vale Europeu, no bairro Poço Grande.

 

 

Os dois estrangeiros foram cooptados pela facção Os Manos, que atua no Rio Grande do Sul, em uma escola de aviação.

Eles contaram que receberiam US$ 25 mil para realizar o serviço.

A investigação ainda está verificando o que ocorreu de errado no crime.

 

Delegado Augusto Brandão (E) e major Edson Jesus da Silva ressaltaram a integração entre as polícias Civil e Militar no caso | Foto: Cláudio Costa/OCP News

 

Os pilotos contaram no depoimento que tinham habilitação para pilotar monomotores e que o avião era um bimotor.

Para dar uma desculpa para um dos criminosos, os dois pilotos contaram que a bomba estava estragada e que não conseguiram abastecer o avião.

A prisão dos envolvidos foi fruto de um trabalho conjunto entre as polícias Civil e Militar.

De acordo com o major Edson Jesus da Silva, comandante da 2ª Companhia do 14º BPM (Batalhão de Polícia Militar), a ocorrência começou após uma pessoa que morava no limite com Joinville avisar sobre um carro abandonado no bairro Poço Grande.

Uma guarnição foi enviada para o local e verificou que o veículo estava abandonado.

Porém, não havia nenhuma restrição quanto a furto ou roubo.

Ferramentas utilizadas na tentativa de furto foram apreendidas | Foto: 14º BPM/Divulgação

A Polícia Militar entrou em contato com o proprietário no Rio Grande do Sul e verificou que o carro havia sido alugado, mas não havia sido devolvido há quatro dias, ou seja, estava configurada uma apropriação indébita.

O policial militar perguntou se havia um sistema de rastreamento no veículo e, com as informações obtidas através do dispositivo, foi descoberta a localização do grupo em um hotel no bairro Vieira.

Enquanto a ocorrência do veículo estava em andamento, um funcionário do aeródromo ligou para o número 190 e também informou sobre a tentativa de furto da aeronave.

Ele encontrou a fechadura de um hangar foi arrombada e narrou sobre o ocorrido para a Polícia Militar.

“Os policiais militares encontraram vestimentas pretas, botas sujas de barro e ferramentas. Eles começaram a suspeitar de que aquilo tinha relação com a tentativa de furto do avião. A Agência de Inteligência do 14º Batalhão ligou para o hotel e, com a orientação da Polícia Civil, os envolvidos foram conduzidos para delegacia, porque haviam todos os indícios de eles foram os autores da tentativa de furto do avião”, explica o major.

O delegado Augusto Brandão, da Delegacia de Polícia da Comarca de Guaramirim, conta que, assim que soube do caso, entrou em contato com o delegado plantonista para informar sobre a gravidade da situação.

Após a prisão, autores foram encaminhados para a Central Regional de Plantão Policial de Jaraguá do Sul | Foto: 14º BPM/Divulgação

Em seguida, os depoimentos dos envolvidos foram tomados na Central de Plantão Policial de Jaraguá do Sul. Com isso, foi confirmada a suspeita de que eles haviam participado da tentativa de furto.

“É importante ressaltar que esse mexicano e esse boliviano eram habilitados para pilotar aviões. Durante a conversa com os policiais, foi verificado que esse avião seria levado para a Bolívia. Muitas das ferramentas utilizadas eram novas, ou seja, foram compradas com o objetivo de cometer aquele o arrombamento e a tentativa de furto. Além disso, foram encontrados aparelhos GPS utilizados para a navegação da aeronave”, destaca o delegado.

Brandão conta que a Agência de Inteligência do 14º BPM ainda identificou uma quinta pessoa envolvida diretamente no crime.

Ele estava armado e conseguiu fugir do hotel no momento da chegada dos policiais militares.

“Essa pessoa já foi identificada e, com o desenrolar das investigações, o pedido de prisão será solicitado pela Polícia Civil ao Poder Judiciário. É importante ressaltar que essa quadrilha era bem estruturada, organizada e tem estrangeiros de duas nacionalidades distintas, ou seja, pode ser considerada internacional”, pondera Brandão, ao contar que a investigação segue na DIC de Jaraguá do Sul.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre segurança pública da região (acidentes de trânsito, ações policiais):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança