O tráfego na serra foi retomado ainda na manhã desta quarta, mas o trânsito deve ser interrompido nas próximas horas para a retirada dos restos do caminhão | Foto: Fábio Junkes/OCP

O tráfego na serra foi retomado ainda na manhã desta quarta, mas o trânsito deve ser interrompido nas próximas horas para a retirada dos restos do caminhão | Foto: Fábio Junkes/OCP

A Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente (Fujama) começou a avaliar nesta quarta-feira (16) os danos causados pelo caminhão tanque que bateu em um barranco na serra da SC-110, no bairro Rio Cerro II, em Jaraguá do Sul. O presidente da fundação, Normando Zitta, explica que as empresas da região foram alertadas para suspender a captação do rio Cerro. Ele lembra que o Samae não faz captação de água para consumo humano naquele rio.

O tráfego na serra foi retomado ainda na manhã desta quarta, mas o trânsito deve ser interrompido nas próximas horas para a retirada dos restos do caminhão. Ao todo, a empresa contratada para fazer a retirada do combustível retirou 15 mil litros de água contaminada do local. Cerca de 4,5 mil litros vazaram e outros 500 litros do combustível ficaram no tanque.

O acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (15), por volta das 16h, na chamada Curva da Santa. O motorista do veículo foi retirado dos destroços por populares e levado pelos Bombeiros Voluntários de Pomerode para o Hospital Rio Testo. Bombeiros voluntários de Jaraguá do Sul e Indaial também estiveram no local e trabalharam na contenção do combustível.