Após criteriosa vistoria, realizada nesta quarta-feira, foi suspensa, pela fiscalização do Ministério do Trabalho e Previdência (MTP), a interdição ao setor de reciclagem de tambores metálicos, de uma empresa do Balneário Rincão, onde morreu um trabalhador de 60 anos, há um mês.

A interdição foi determinada pelo auditor fiscal Luiz Osório, do MTP, após investigação dois dias depois ao acidente, que nesta quarta voltou ao local.

Neste período a empresa passou por uma completa reengenharia e, sobretudo, eliminou a causa do acidente fatal. O tiner utilizado na limpeza dos tambores, foi substituído por percloroetileno, que não incendeia.

As máquinas utilizadas no processo de limpeza dos tambores agora têm manual de instruções e ganharam proteções que protegem os operadores, com dispositivos que param o processo quando portas são abertas. Toda a equipe passou por treinamento para operar os equipamentos e nos novos processos produtivos.

O tesoureiro geral do Sindicato, Jorge Bittencourt, acompanhou a vistoria desta quarta-feira e por ter estado no local do acidente no dia seguinte a ocorrência, disse ter ficado surpreso com as mudanças.

“Agora a empresa oferece todas as condições de um local de trabalho seguro aos seus empregados e este era o principal objetivo do Sindicato”, disse.