Um veículo invadiu uma loja de roupas na tarde de quarta-feira (1º), na rua Roberto Ziemann, no bairro Amizade, em Jaraguá do Sul, Norte catarinense. Antes disso, o Volkswagen Polo de cor preta havia batido em um outro automóvel e colidido contra um ciclista. De acordo com a Polícia Militar, testemunhas afirmaram que o carro estava em alta velocidade, andando em zigue-zague e por pouco não atingiu outros pedestres. Foram encontradas diversas latas de cerveja e um litro de vodka aberto dentro do veículo. O motorista de 22 anos foi preso em flagrante. Casos como este fazem parte das dezenas de registros da Polícia Militar que dizem respeito a motoristas que dirigem sob o efeito de álcool em Jaraguá do Sul. Nesta semana, o deputado estadual Ismael do Santos (PSD), presidente da Comissão de Prevenção e Combate às Drogas da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), apresentou o relatório “Álcool x Direção 2016”. O documento aponta que Jaraguá do Sul contabilizou 1.105 registros entre os anos de 2013 e 2016. Foram 257 apenas neste ano. O município está em quinto lugar no ranking de flagrantes de motoristas embriagados, atrás de Blumenau, Lages, Florianópolis e Brusque. O documento também traz outros dados relacionados ao tema em Jaraguá do Sul no ano de 2016, como o número de ações ajuizadas (173) e motoristas condenados judicialmente (54) pelo crime de embriaguez ao volante. “O relatório é, basicamente, um esforço conjunto com o Ministério Público e a Secretaria Estadual de Segurança Pública, buscando compreender melhor os padrões de consumo do álcool e os perigos de sua combinação com o volante”, ressalta o deputado estadual. Entre os anos de 2013 e 2016, 7.227 motoristas foram flagrados dirigindo sob o efeito de álcool no Estado. Santos afirma que o número confirma o alto índice de motoristas nas estradas catarinenses dirigindo sob o efeito de bebida alcoólica. De acordo com o chefe do setor de comunicação do 14º Batalhão de Polícia Militar, major Aires Volnei Pilonetto, a capacidade de fiscalização da PM em Jaraguá do Sul é limitada, pois a corporação tem outras atividades colocadas em primeiro plano. “Nós não temos conseguido desencadear operações específicas para fiscalizar a embriaguez ao volante, porque a gente prioriza outras ações”, afirma Pilonetto, ao ressaltar que o grande número de flagrantes se deve ao trabalho da PM, autoridade de trânsito no município. “Os números refletem o trabalho de fiscalização e refletem essa conduta do motorista. Se nós não tivéssemos essa conduta dos usuários da via, de fazer o uso de bebida alcoólica e dirigir, nós não teríamos as infrações e os crimes sendo apurados. Eles também determinam que a comunidade de Jaraguá do Sul e região entenda que é preciso adotar uma nova cultura. Se a pessoa for dirigir, deve se abster da bebida alcoólica. Se a pessoa beber, ela deve procurar algum transporte alternativo, alguém que não tenha o hábito de beber. Na nossa sociedade, na legislação e diante dos eventos atuais, não se admite que a pessoa ainda se permita fazer o uso de bebida alcoólica e se colocar na direção de um veículo automotor”, destaca o major da PM.