Com informações do jornal Notícias do Dia. Três crianças que nasceram em Criciúma, no Sul de Santa Catarina, com idades entre 5 e 9 anos, foram encontradas mortas nesta quarta-feira (2), na cidade de Ponce, em Porto Rico. Elas foram assassinadas pelo próprio pai, o estadunidense Erick Ramirez, de 50 anos, que se enforcou em seguida. A mãe das crianças, Marlene Martins da Rocha, de 33, natural de Forquilhinha, Sul do Estado, estava em Los Angeles a trabalho quando soube da tragédia. Pela manhã, ela recebeu telefonema de uma vizinha que contou sobre a morte de Ramirez, encontrado enforcado nos fundos de casa. Por meio da imprensa de Porto Rico, Marlene descobriu que o marido havia assassinado por asfixia as crianças antes do suicídio. Conforme a imprensa de Porto Rico, a brasileira registrou queixas em maio e outubro de 2016 contra o marido por agressão de gênero. Ramirez estaria livre sob fiança e uso de tornozeleira eletrônica. A tia das crianças, Marli Martins da Rocha, confirmou à reportagem do jornal Notícias do Dia que Ramirez agrediu a mulher. Porém, ele ainda não teria apresentado comportamento violento com os filhos. O casal estava em processo de divórcio, vivendo em casas separadas há cerca de um mês. As crianças moravam com a mãe. O casal estava junto há 10 anos. Moraram em Criciúma, Forquilhinha e Morro da Fumaça, todas cidades do sul de Santa Catarina. Há 3 anos eles se mudaram para Porto Rico, depois que o pai de Ramirez faleceu e ele assumiu os negócios da família. A mãe das crianças desembarcou no local da tragédia na noite desta quarta-feira. Segundo a família, ainda não há decisão sobre transladar os corpos para o Brasil.