A morte do condutor de charrete causou uma grande comoção nos moradores da comunidade rural do Rio da Luz, em Jaraguá do Sul.

O acidente de trânsito que vitimou fatalmente Valdemar Horongoso, de 73 anos, deixou a família estarrecida.

Valdemar trabalhava realizando passeios turísticos com a sua charrete. Ele levava os clientes dos cafés coloniais para ver as belezas do interior da cidade.

O idoso tinha uma grande paixão pelos cavalos e também pelo veículo de tração animal, forte traço cultural dos moradores da região.

No sábado (5), Valdemar foi na Casa Rux para realizar mais alguns passeios com turistas. No retorno, ofereceram uma refeição para o idoso.

Depois de comer, ele retornou para casa, mas foi atingido na traseira por um Peugeot 307 na rua Erwin Rux. Com o impacto, o idoso foi projetado.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

O Corpo de Bombeiros Voluntários foi chamado para atender a ocorrência por volta das 18h30.

A Unidade de Suporte Avançado do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi para o local para dar apoio no socorro.

“Eu fui na empresa para pegar um veículo para viajar e tinha passado pelo meu pai fazendo a última viagem com mais pessoas. Quando ele saiu da casa Rux, aconteceu essa tragédia. Eu tinha acabado de chegar em casa quando o Evandro Rux me ligou e disse que bateram no trole do meu pai. O meu irmão foi para o hospital e uma parte da família foi no local do acidente. Quando chegamos no local, entramos em choque”, afirma Walnei Carlos Horongoso, filho da vítima.

De acordo com a família, o motorista abandonou o veículo e fugiu do local. As testemunhas contaram que o veículo estava em velocidade incompatível com a permitida na via.

Walnei conta que o trole chegou a ser arrastado por cerca de 30 metros após a batida.

Os dois cavalos foram arremessados a uma distância de seis metros e ficaram feridos.

Foto: Fábio Junkes/OCP News

Um veterinário foi chamado para verificar a necessidade sacrificar os animais. Porém, o profissional disse que os dois cavalos poderiam se recuperar e agora passam por tratamento com troca diária de curativos feita pela família.

Internação

No hospital, os médicos verificaram que Valdemar tinha um coágulo na cabeça e fraturado uma vértebra. Apesar da lesão na coluna, o idoso não corria o risco de perder nenhum movimento.

No primeiro dia de internação, Valdemar estava confuso e não conseguia reconhecer os parentes. Depois, ele teve uma boa melhora no quadro clínico e já estava lembrando dos familiares.

“Ele começou a perguntar dos filhos, perguntar dos cavalos, que eram a paixão dele. Contamos que fizemos um rancho para eles e que estavam sendo medicados. Todo mundo estava ansioso por essa melhora”, lembra.

De acordo com Walnei, o irmão dele acompanhava o pai no hospital na quarta-feira (9). Durante a madrugada, o idoso teve uma piora no quadro e não resistiu aos ferimentos provocados pelo acidente.

“A família agradece muito o empenho dos bombeiros, dos profissionais do Samu e do Hospital São José. Acredito que eles fizeram de tudo para a salvar o meu pai. Acredito que ele foi muito bem assistido”, reitera.

Valdemar participava dos desfiles com o trole e era muito querido na comunidade.

Como uma forma de homenagear o idoso, amigos realizaram uma homenagem e seguiram o cortejo fúnebre no bairro Rio da Luz com carroças.

“Ele estava fazendo o que mais amava, que era mexer com os cavalos, passeando com o trole. A morte dele tirou o nosso chão. Se fosse uma morte natural, iria doer. Mas o meu pai não merecia morrer da forma como foi.”, lamenta.

Investigação

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o acidente que resultou na morte do carroceiro. De acordo com o delegado regional Fabiano dos Santos Silveira, a investigação será realizada pela equipe da Delegacia da Comarca de Jaraguá do Sul.

“A investigação começou a partir do conhecimento do óbito. No inquérito presidido pelo delegado Luiz Carlos Gross, será apurada a questão do homicídio culposo em acidente de trânsito”, comenta o delegado regional.