Reportagem de Patrícia Moraes para o jornal O Correio do Povo. Um grupo de diretores de escolas municipais de Jaraguá do Sul procurou o presidente do Centro Empresarial, Giuliano Donini, solicitando que ele interceda junto ao governo de Antídio Lunelli. O objetivo da categoria é buscar consenso para dar fim à greve. Entre as solicitações está que a administração reveja a forma de descontar os dias parados – a proposta do governo é dar somente aos professores a oportunidade de repor as horas não trabalhadas – e reconsidere o corte do vale alimentação para quem recebe acima de R$ 2.500. Outro pedido é que o governo se comprometa a não reencaminhar à Câmara o projeto de lei que diminui de 6% para 3% os triênios.  Com essas medidas, os educadores garantem que a categoria retornaria ao trabalho, encerrando a greve. Os diretores também sugeriram montar uma comissão para listar outras maneiras de contornar a crise financeira do município. Os educadores disseram ainda que não há dados claros sobre o quanto a educação pesa no orçamento do município, pois o pagamento da maioria dos professores vem do Fundo Nacional da Educação. Os professores também demonstraram preocupação com uma possível volta ao trabalho, sem motivação. O presidente da Acijs, Giuliano Donini, disse que a entidade não tem como fazer o papel de mediadora do conflito, sendo tal atribuição da Câmara de Vereadores. Mas se comprometeu em avaliar os dados relativos ao setor do ponto de vista econômico, para ter uma posição mais técnica sobre o assunto.