A Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil em Jaraguá do Sul prendeu um homem de 31 anos por tráfico de drogas no município.

Os policiais civis abordaram o suspeito pilotando uma moto na rua Expedicionário Gumercindo da Silva, no Centro, na tarde desta quarta-feira (5).

Evaldo F. Lima, conhecido pelo apelido de Gole, foi preso com 75 pedras de crack e R$ 250 em dinheiro.

De acordo com o delegado titular da DIC, Daniel Dias, cada unidade era vendida por R$ 50. Denúncias apontaram que o suspeito estava vendendo drogas em diversos pontos da cidade.

Segundo o delegado Daniel Dias, monitoramento foi feito após denúncias | Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Os agentes da DIC realizaram campanas e, durante a tarde desta quarta, flagraram Evaldo parando em um posto de combustíveis e conversando com usuários.

Depois, ele saiu do local pilotando uma Honda Twister de cor amarela, que havia adquirido recentemente.

"Nós já tínhamos a informação que ele vendia bastante. Com a prisão do Tio Miro, ele ficou mais forte. O Gole conseguiu fazer um dinheiro durante esses dias e conseguiu comprar essa moto ontem (terça). Hoje, ele já estava fazendo uma série de entregas com essa motocicleta amarela”, descreve Dias.

Migração de usuários

Além das pedras, foram apreendidos R$ 250 e a motocicleta utilizada por Gole | Foto: DIC/Divulgação

O delegado afirma que houve uma mudança na venda de crack em Jaraguá do Sul. Antes, o comum era a venda de unidades no valor de R$ 10 e, nas duas últimas prisões, os policiais civis observaram que a venda era feita em unidades de R$ 50.

Muitos usuários da droga migraram para o uso da cocaína por causa da demanda na região.

“Nós estamos percebendo essa mudança não só no crack, mas uma migração dos usuários de crack para a cocaína. O tamanho das pedras de crack aumentou. Hoje, só conheço traficantes que vendem pedras de R$ 50 e R$ 100“, destaca.

Dias afirma que Gole foi preso antes de se tornar um grande fornecedor de drogas. Durante depoimento, ele disse aos policiais civis que buscava a droga em Blumenau.

Evaldo afirmou que não tem envolvimento com o crime organizado.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?