Em uma prestação de contas na Câmara de Vereadores no fim de 2019, o delegado regional Fabiano do Santos Silveira mostrou que a DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Jaraguá do Sul realizou 24 prisões durante o ano. Ele prometeu que mudanças viriam e a divisão iria duplicar o número em 2020.

 

Um levantamento feito pelo OCP aponta que a DIC realizou, até o dia 9 de outubro, 68 prisões, um aumento de 183%. A unidade especializada de Jaraguá do Sul é a sétima delegacia que mais efetua detenções em Santa Catarina.

Fabiano destaca que várias medidas foram tomadas para fazer com que a Divisão elevasse a produtividade. A primeira delas foi o aumento de 50% no número de policiais civis, com a alocação do efetivo da Divisão de Furtos e Roubos na DIC.

Delegado regional reforçou a equipe de investigação da DIC | Foto: Fábio Junkes/Arquivo OCP News

“Nós fizemos um planejamento estratégico para a Polícia Civil na nossa região com o foco nos crimes de maior gravidade. Nesse contexto, a Divisão de Investigação Criminal ganhou um reforço no efetivo, praticamente dobrou o número de investigadores e conta com mais um delegado”, descreve.

O reforço na equipe que apura crimes como roubos, homicídios, o crime organizado e o tráfico de drogas permitiu que ocorresse a regionalização da divisão. Os policiais civis atuam nos cinco municípios, em contato direto com investigadores de cada uma das delegacias.

Além da importante parceria na troca de informações com a Polícia Militar e com o Deap (Departamento de Administração Prisional), Fabiano explica que há uma sinergia com o Judiciário e o Ministério Público.

“O Poder Judiciário é muito atuante e sempre está disposto a atender as nossas equipes quando há alguma demanda, representação por busca e apreensão ou mandado de prisão. São situações urgentes e essa engrenagem permite uma resposta rápida para a sociedade”, contextualiza.

Captura de foragidos

O delegado titular da DIC, Daniel Dias, ressalta que todas as prisões feitas pela unidade tiveram base em investigações de crimes graves. Os números contabilizam flagrantes, cumprimentos de prisões preventivas e temporárias oriundas de investigações, além da captura de foragidos da Justiça.

Delegado Daniel Dias destaca o uso de computadores na prisão de foragidos | Foto: Fábio Junkes/Arquivo OCP News

A compra de dois computadores com alta capacidade de processamento é outro fator que colaborou para o aumento do índice. As máquinas permitem que um software faça buscas em diversos bancos de dados usados nas investigações e no paradeiro dos foragidos.

“Quando o número de prisões aumenta, a nossa equipe fica motivada. Para nós, isso é muito gratificante e faz com que os policiais acreditem nesse projeto, façam mais buscas e prendam esses foragidos para que respondam pelos seus crimes perante a Justiça”, frisa.

Dias conta que essas pessoas procuradas fugiram logo após cometerem os crimes. Com a esperança de que não sejam alcançadas pelos policiais civis que atuam em Jaraguá do Sul e, desse modo, pela Justiça, acabam se deslocando para outras cidades e estados.

“Cabe a nós, da Polícia Civil, a Polícia Judiciária, encontrar esses foragidos e fazer com que respondam a essas situações. Aplicamos diversas técnicas de investigação, inclusive os metadados gerados pelos computadores, na busca dessas pessoas”, sintetiza.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança