Em maio de 2020, a Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, através da Divisão de Repressão a Entorpecentes, iniciou uma investigação tendo como alvo integrantes de uma facção criminosa que atuava no bairro Renascer.

A investigação perdurou por dez meses, sendo identificada uma quadrilha de traficantes que atuava nos bairros, Renascer e HG, cujos integrantes faziam parte de uma facção criminosa que atua nos presídios.

A investigação resultou na apreensão, em 21 de janeiro, de 30 quilos de maconha, que estava sendo transportada pela BR-101, na cidade de Tubarão, por um homem, de 29 anos, o chefe da quadrilha, e seu comparsa, de 49 anos, ocasião na qual os dois foram autuados em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

Segundo o delegado André Milanese, dos 30 quilos de maconha apreendidos em Tubarão, a investigação conseguiu comprovar o vínculo da quadrilha com várias apreensões de drogas realizadas pela Polícia Militar nos meses de dezembro de 2020 e janeiro 2021 no bairro Renascer, a maioria das vezes encontrada com o auxílio do cão farejador, enterrada em terrenos baldios, sendo então representado pela prisão preventiva dos integrantes da quadrilha, que foram deferidas nesta semana pela 1ª Vara Criminal de Criciúma.

Foram decretadas novas prisões preventivas dos dois abordados na BR, que já se encontravam presos preventivamente, além de outros integrantes da quadrilha: um deles de 23 anos, que também já se encontrava preso, pois foi flagrado pela PM na data de 13 de janeiro pelo crime de tráfico de drogas; outro, que se encontra preso preventivamente desde 20 de março pelo crime de tentativa de homicídio; e o quinto envolvido, de 24 anos, cujo mandado de prisão preventiva foi cumprido nesta terça-feira pela PM.

“Todos os investigados responderão presos pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e participação em organização criminosa”, informou a autoridade policial.