Um detento da Penitenciária Santa Augusta, em Criciúma, foi levado a Júri Popular e condenado a cumprir mais de 15 anos de prisão pelo crime de homicídio triplamente qualificado - por motivo torpe, uso de meio cruel e por dificultar a defesa da vítima.

Segundo a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o homem cometeu o homicídio em janeiro de 2019. A vítima foi outro preso que estava no banho de sol. A ordem veio da facção criminosa em que o detento faz parte.

A vítima foi sufocada com uma camisa, além de ser golpeado com uma lâmina no tórax, cervical e no rosto. Ele não sobreviveu.