Um detento do Presídio Regional de Joinville foi internado depois de apresentar suspeita de meningite na tarde do último domingo (8). O interno passou mal, foi socorrido inicialmente pelos agentes penitenciários plantonistas, que acionaram o Samu, e foi encaminhado ao hospital, onde o diagnóstico de meningite bacteriana foi confirmado.

O Departamento de Administração Prisional (Deap) informou que o detento foi internado em ala de isolamento e que, após confirmação do diagnóstico, 16 detentos e seis agentes penitenciários que tiveram contato próximo com o preso receberam medicação preventiva, para evitar o risco de contágio.

Os envolvidos tomaram a primeira dose nesta segunda-feira (9), após a confirmação do diagnóstico, e nesta terça-feira (10), tomaram a dose complementar, segundo a assessoria do Deap.

Atendimento médico

Após o ocorrido, a Associação dos Agentes Penitenciários e Socioeducativos do Estado de Santa Catarina (AAPSS) questionou, em nota, a falta de disponibilidade de profissionais de saúde em tempo integral para as unidades prisionais, para reforçar o atendimento médico preventivo dos internos e preservar a saúde dos servidores e de todos os envolvidos.

Também por meio de nota, o Departamento de Administração Prisional (Deap) respondeu ao questionamento, informando que os gestores das unidades podem acionar os serviços governamentais para buscar atendimento médico.

"O fato de não ter equipes de plantão 24 horas não significa que os internos ou agentes não irão receber atendimento, em caso de necessidade", diz a nota.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger