O corpo de Michel Ricardo de Moraes Barbosa, terceira vítima do naufrágio de uma lancha em Laguna, Sul catarinense, foi sepultado neste sábado. O jovem de 25 anos era filho de Ricardo de Moraes Barbosa, 48, vereador de Caçador, no Oeste, que também morreu no acidente, no dia 14 de janeiro.

O enterro de Michel ocorreu no Cemitério Municipal de Caçador, às 10h. Antes, o corpo foi velado no Memorial São Pedro. A informação foi confirmada pela assessoria da Câmara de Vereadores do município.

O corpo do jovem foi encontrado na quinta-feira na região de Passo de Torres. Na sexta-feira, a Polícia Científica confirmou a identidade da vítima. Michel era formado em Educação Física e trabalhava em uma empresa de proteção veicular. Nas redes sociais, ele tinha fotos publicadas com Ricardo quando celebrava o Dia dos Pais, o aniversário e a a formatura ao lado da família.

O jovem morava em Caçador, mas nasceu em Videira, na mesma região. Após o corpo ter sido resgatado pelo Corpo de Bombeiros, o perfil da Câmara de Vereadores de Caçador publicou fotos em homenagem às vítimas.

O naufrágio

O naufrágio da lancha ocorreu nos Molhes da Barra. A embarcação afundou por volta das 15h. Além de Michel e o pai, um amigo deles, de 29 anos, não sobreviveu ao acidente. Três dos homens estavam agarrados na embarcação e foram retirados da água pelos bombeiros. Outro também foi resgatado com vida no mar.

Segundo os policiais do Serviço de Atendimento e Resgate Aeromédico (Saer), que prestaram apoio na ocorrência, a embarcação virou com a força das ondas. Os bombeiros informaram que a lancha acabou afundando.

A Polícia Científica iniciou os procedimentos de identificação da vítima em Araranguá, também no Sul catarinense. Porém como foi necessária a análise pela arcada dentária, o corpo foi levado para Florianópolis na madrugada de sexta-feira para avaliação do médico odontolegista.

Desta forma, a vítima foi identificada. O procedimento foi feito em duas horas e meia, de acordo com a Polícia Científica.

Investigação

A Delegacia da Capitania dos Portos em Laguna abriu um inquérito administrativo para "apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente". Em nota, o órgão informou que a investigação segue em andamento.

"Estão sendo colhidos os depoimentos de testemunhas, tendo duas já sido ouvidas no inquérito".

 

 

 

 

 

Fonte: G1SC