Em alusão aos 10 anos das tragédias - enchente, deslizamentos e mortes - ocorridas em 2008, a Defesa Civil do Estado promove o Simpósio Integrado de Redução de Riscos e Desastres da Região Norte de Santa Catarina.

A Fameg (Faculdade Metropolitana de Guaramirim) será sede do encontro, das 9h às 18h. A programação de palestras ocorre no dia 20 de novembro e está com as inscrições gratuitas abertas no site http://www.amunesc.org.br.

De acordo com o coordenador regional do órgão, Osvaldo Gonçalves, pessoas que participaram dos resgates nos eventos que marcaram a história de Santa Catarina vão contar as suas experiências naquele ano e nos anos seguintes.

Para ele, a Defesa Civil evoluiu muito desde 2008, quando Santa Catarina foi pega de surpresa com uma série de deslizamentos e alagamentos. Nos dias em que ocorreram os eventos,  Jaraguá do Sul registrou 14 mortes, 7,3 mil casas foram atingidas, 1.790 pessoas ficaram desalojadas e 95 desabrigadas.

Gonçalves explica que a Defesa Civil do Estado deixou de ser uma coordenadoria para virar uma secretaria justamente por sua importância.

“Não sofremos mais apenas com enchentes e deslizamentos de terra. Hoje, há outras ocorrências climáticas em Santa Catarina, como microexplosões e ciclones. A nível nacional e até na América do Sul, o nosso Estado é o que mais sofre com esses eventos", destaca.

No dia seguinte ao simpósio será realizado um simulado com o Grupo de Ações Coordenadas (Grac) de Jaraguá do Sul e Guaramirim. Fazem parte do grupo as polícias Civil, Militar, o Instituto Geral de Perícias, o Corpo de Bombeiros Voluntários, o Grupo Especialista em Resgate de Alto Risco (Gerar), o Jeep Clube, o Clube de Rádio Amador, o Clube de Canoagem Kentucky e as secretarias municipais de Obras e Assistência Social, além da Defesa Civil de Jaraguá do Sul.

Evolução será avaliada

O coordenador regional da Defesa Civil afirma que, desde a tragédia, bombeiros e outros profissionais da área de segurança procuraram treinamento e se equipar.

“Nós vamos trazer a tragédia de dez anos atrás para os dias de hoje. O objetivo é trabalharmos juntos em uma ação coordenada. O que acontecia anteriormente, é que um corria para um lado e outro corria para o outro. Ao final do simulado, nós vamos avaliar o quanto evoluímos e o quanto temos que evoluir na questão profissional e na cultura da Defesa Civil”, comenta.

As situações vão simular situações de deslizamentos e enchentes. Em Jaraguá do Sul, os exercícios serão realizados na antiga fábrica da Kolbach e em uma praça na rua Presidente Epitácio Pessoa. Em Guaramirim, o local ainda não foi definido.

As aeronaves Arcanjo 3, do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, e Águia 1, da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da PM também farão parte do simulado.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?