A Defesa Civil de Santa Catarina concluiu o processo licitatório para a aquisição do novo radar meteorológico que será instalado no Norte do Estado. O objetivo do equipamento é melhorar a cobertura da região, que apresenta microclimas devido às características de relevo.

A Defesa Civil realiza um estudo de localização para definir o local exato de instalação. Análises preliminares indicam que a área mais favorável é a do Morro das Antenas, em Jaraguá do Sul, porém a definição deverá ocorrer nas próximas semanas após testes de interferência eletromagnética.

O equipamento é capaz de realizar vigilância meteorológica total de uma área geográfica circular com um raio de pelo menos 100 quilômetros, de detectar hidrometeoros (água, gelo, granizo e até neve) com até 50 quilômetros de distância e constatar a velocidade do vento no modo doppler.

O aparelho adquirido é de banda X Doppler, com dupla polarização e transmissor em estado sólido, de última geração. Comparado com radares valvulados Magnetron, as características do novo equipamento garantem mais eficiência energética e baixíssimo custo de manutenção.

A proposta vencedora, no valor de R$ 3.754.437,33, foi da Enterprise Eletronics Corporation, mesma empresa fornecedora dos radares do Vale (banda S, instalado em Lontras) e do Sul (banda X, instalado em Araranguá).

A aquisição do Radar do Litoral Norte faz parte da estratégia do Estado de Santa Catarina na estruturação de uma rede de radares meteorológicos, que já conta com três equipamentos: no Vale (Lontras), no Oeste (Chapecó) e no Sul (Araranguá).

"Melhorando a qualidade dos nossos alertas estamos preparando a população, o setor público e também privado para assim, em conjunto, minimizar os efeitos causados pelos mais diferentes fenômenos meteorológicos", comentou o chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Jr.

Segundo João Batista, a nova aparelhagem irá cobrir uma área com mais de 1,4 milhões de moradores e o maior PIB do estado. A região é frequentemente afetada por inundações, enxurradas, alagamentos e deslizamentos.

Muitos destes eventos são causados pela circulação marítima, que traz nuvens baixas e muito carregadas de água e umidade em direção ao continente, com relevo bastante acidentado. Como o Radar do Vale está a mais de 100 quilômetros de distância das principais cidades do Litoral Norte, o equipamento não consegue detectar com precisão a chuva provocada por estas nuvens.

Com a aquisição do Radar do Norte, a Defesa Civil poderá proporcionar um monitoramento mais preciso e auxiliar na emissão de alertas de deslizamentos e inundações, além de tempestades com granizo e ventos fortes que provocam quedas de árvores, danificação e destruição de residências e queda de energia elétrica.

"Para ter uma ideia, nos últimos três anos, a força da natureza causou mais de R$ 815 milhões de prejuízo em Santa Catarina. E o objetivo principal do Governo do Estado vai além de reduzir os gastos, é preservar vidas. Com mais essa ação vamos minimizar as consequências dos desastres naturais", finalizou João Batista.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):