Dois homens armados roubaram um estabelecimento, sequestraram um comerciante e entraram em uma perseguição com a polícia, na noite de terça-feira (13). A fuga resultou em um acidente em Santo Amaro da Imperatriz.

Um dos criminosos foi preso em flagrante e o segundo conseguiu fugir depois de sequestrar outro homem. O fugitivo está sendo procurado pela polícia

Por volta das 23h de terça-feira (13) a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de roubo a mão armada no bairro Lisboa, em São José, na Grade Florianópolis.

Conforme informado pela PM, próximo das 21h, os dois homens renderam uma comerciante de uma padaria e o mantiveram como refém sob ameaça de arma de fogo.

O comerciante foi sequestrado pelos criminosos que usaram o veículo da vítima para fugir pela BR-282. Os policiais elaboraram um cerco para impedir a fuga, porém os homens bateram nas viaturas, furando os bloqueios.

A perseguição foi até Santo Amaro da Imperatriz. Os criminosos perderam o controle de veículo e caíram dentro do rio Cubatão. De acordo com as autoridades, o comerciante foi resgatado com vida do porta-malas sem nenhum ferimento grave.

Um dos criminosos que tentava fugir do local foi preso em flagrante pelos policiais. O homem foi lavado para a Delegacia de Polícia Civil, onde será ouvido.

Foto Redes Sociais/Reprodução

O outro homem se escondeu em um canil de uma casa, no bairro Sul do Rio. O morador do local, Pedro Henrique informou ao site ND+ que o caso aconteceu próximo das 2h30 desta quarta-feira (14) e que só achou o homem, porque os cachorros começaram a latir.

“Os cachorros da rua começaram a fazer muito barulho e demonstrar que tinha algo de errado dentro do meu terreno. Logo fui ver o que era e percebi que o bandido saiu rápido dali”, explicou Pedro.

Foto: Redes Sociais/Reprodução

Durante a manhã, o morador ainda informou que o criminoso sequestrou o vizinho e o obrigou a levá-lo até Palhoça. O homem também roubou a casa do senhor.

Até o momento o foragido não foi encontrado, porém a polícia está trabalhando para “identificar, localizar, prender e responsabilizar o marginal pelos seus crimes”.