Fabiano de Oliveira Dozol, de 29 anos, natural de Imbituba, mas que vinha residindo no bairro Renascer, em Criciúma, cidade onde (não) cumpria pena em regime semiaberto, era foragido da Justiça desde julho do ano passado.

O nome de Fabiano ficou conhecido nas últimas horas, e seu paradeiro caçado pelas forças de segurança, após ter alvejado dois policiais militares que cumpriam seu mandado de prisão para retorno ao sistema prisional.

O cabo da Polícia Militar de Criciúma, João Batista Figueira Ribeiro, de 42 anos, que foi alvejado na cabeça, não resistiu e veio a óbito nesta madrugada no Hospital São José.

Outro policial também foi baleado, mas está fora de perigo.

Conforme informações dos autos processuais do criminoso, obtidos no sistema de busca do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), ele cumpria pena pelo crime de roubo - o popular assalto à mão armada, na forma tentada e consumada, por quatro vezes, sendo condenado à época a 17 anos de prisão.

Após alguns anos de cárcere, passou para o regime semiaberto, mas não retornou de um trabalho externo, sendo considerado então foragido e regredindo ao regime fechado pela falta, considerada grave no sistema prisional.

Fabiano ainda respondia pelos crimes de ameaça e resistência à prisão, ou seja, neste último caso sendo já reincidente, já que resistiu à prisão ontem, quando alvejou os policiais.

Ele foi morto em confronto com policiais militares do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) de Içara, entre os balneários, Torneiro e Esplanada, nesta tarde.

Mobilização policial foi intensa desde ontem na região/Fotos: Divulgação

Segundo a PM, após denúncias de que um suspeito estava andando sujo de barro na localidade, ao chegar ao local, a guarnição foi surpreendida a tiros.

Uma arma de fogo foi apreendida.