Foto: Bombeiros Voluntários de Corupá  Com a frequência de turistas no litoral catarinense durante a temporada de verão, proximidade com o Carnaval e as variadas belezas naturais, as praias acabam não sendo o único atrativo. As trilhas em mata, cachoeiras, rios e costões também são convidativos para os que frequentam a região, porém, deve-se observar alguns cuidados para aproveitar o passeio com segurança. O ideal é que a visita a estes lugares seja guiada por alguém experiente, que conheça o percurso, pois em caso de acidente, o local de difícil acesso pode dificultar o socorro. A praia da Guarda do Embaú, em Palhoça, é um exemplo de local onde os visitantes têm muitas opções de lazer ao ar livre além da praia. Lá é comum ver as pessoas atravessando a pé o Rio da Madre, pois alguns bancos de areia produzem pontos mais rasos. “É um local perigoso, principalmente no auge da maré enchente ou vazante, quando a correnteza é maior. Por isso foi instalado um cadeirão de observação para os Guarda-Vidas orientarem os banhistas”, explica o 3° sargento BM Cláudio Luiz Andrade. O militar destaca que o ideal é não se arriscar e utilizar embarcação para transpor o rio. Na Guarda do Embaú há também as trilhas, que “não devem ser feitas com tempo chuvoso ou terreno muito molhado. Também não é aconselhável levar crianças”, esclarece o soldado BM Jeferson de Souza. A orientação vale para todos os passeios deste tipo. Uma observação importante sobre as cachoeiras é a mudança brusca do volume de água, que pode acontecer devido a chuvas mais acima do nível do local. O soldado BM Jeferson conta que ao perceber que há previsão de chuva para o local ou proximidades do passeio, não é aconselhável se aproximar ou tentar cruzar uma cachoeira ou riacho. “O volume de água pode triplicar, carregar as pessoas de repente e dificultar possíveis salvamentos”. Nas cachoeiras deve-se evitar o banho em local com pouca visibilidade na água, muito profundos ou com correnteza, além de tomar cuiado ao saltar. Confira os principais riscos de fazer uma trilha e quais acidentes frequentes nestes locais: - Quedas devido ao terreno acidentado; - Animais peçonhentos (cobras, aranhas e escorpiões); - Perder-se em local desconhecido e não conseguir voltar;  Dicas: - Ter preparo físico compatível com a dificuldade do percurso; - Preferencialmente fazer uma visita guiada; - Avisar os parentes e amigos que irá fazer a trilha, informando a duração e o percurso; - Calcular o tempo para ir e voltar ainda durante o dia; - Levar um telefone celular com a bateria carregada; - Portar água e alimentação leve; - Não tentar atravessar um curso d'água que ultrapasse a linha da cintura ou tenha correnteza; - Procurar informar-se da previsão do tempo; - Utilizar calçados adequados; - Ter cuidado ao se aproximar de locais muito íngremes para tirar fotos, apreciar a paisagem ou pescar; - Não tentar manipular animais peçonhentos; - Recolher todo o lixo.  Caso você se perca: - Acione o socorro pelo telefone 193. - O aplicativo WhatsApp, por exemplo, possui um sistema de envio de localização, que pode ser utilizado para facilitar as equipes de socorro. - Caso não seja possível, permaneça no local onde está para evitar desgaste físico e se afastar ainda mais do início do percurso. Texto: Assessoria de Imprensa CBMSC