Com novo Copom, PM quer ampliar câmeras e implementar reconhecimento facial em Jaraguá do Sul e região

Foto: 12º CRPM/Divulgação

Por: Claudio Costa

16/09/2023 - 06:09 - Atualizada em: 16/09/2023 - 06:18

O 12º CRPM (Comando Regional de Polícia Militar) intensificou as tratativas para a implantação na nova sede do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar). A estrutura será implementada no prédio que abrigava a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, na Avenida Getúlio Vargas, no Centro.

O prédio vai permitir a instalação de uma nova central de videomonitoramento. A ideia é concentrar as câmeras de todas as cidades da região e, com isso, ampliar o alcance do trabalho feito atualmente pelos policiais militares na vigilância.

No início do mês, a comandante do 12º Comando Regional de Polícia Militar, coronel Arlene de Souza Villela, participou da assembleia-geral ordinária da Amvali (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu). No encontro, ela apresentou detalhes da reforma do prédio e pediu o apoio dos municípios da região para viabilizar o projeto.

“Esse prédio novo vai permitir a implementação de novas tecnologias do sistema Vigilante da Secretaria de Segurança Pública. Além das câmeras já instaladas em Jaraguá do Sul, serão implementados equipamentos de videomonitoramento com o apoio dos municípios do entorno. Com isso, pretendemos ampliar os limites para acompanhar delitos nas outras cidades. Em muitos casos, quando cometido algum tipo de delito, o autor acaba saindo da cidade. Então, vamos poder acompanhar o criminoso por meio desse sistema construído por várias mãos”, comenta Arlene.

A estrutura também vai possibilitar uma parceria com a comunidade. Empresas vão poder colaborar com as câmeras de segurança para ampliar ainda mais o trabalho de videomonitoramento nas cidades. Para participar, os proprietários vão poder disponibilizar os links das câmeras para a Polícia Militar.

“Queremos que a comunidade também participe dessa inovação. A gente sabe que Jaraguá do Sul é a cidade mais segura do Brasil, mas temos que dar o próximo passo para elevar ainda mais essa qualidade de vida com relação ao aumento da sensação de segurança. Para isso, precisamos utilizar todas as tecnologias que temos à disposição”, ressalta a coronel.

Foto: Subtenente Luiz Wiltner/12º CRPM

Reconhecimento facial

O objetivo é fazer com que o novo Copom seja um modelo para todo o Estado. Além do uso bem-sucedido do OCR, equipamento para leitura de caracteres de placas de veículos, a infraestrutura vai permitir a implementação do reconhecimento facial em Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá, Massaranduba e Corupá. Entre os muitos usos, Arlene aponta a possibilidade de vigilância de alvos de medidas protetivas de urgência.

“Se a mulher tem uma medida protetiva, essas informações são inseridas no banco de dados. Por exemplo, se esse homem se aproxima de uma escola onde a mulher está dando aula, a câmera faz a leitura facial e o sistema aciona uma viatura para ir até o local e fazer a abordagem da pessoa que está descumprindo o afastamento obrigatório”, demonstra.

 

Foto: 12º CRPM/Divulgação

A implementação do reconhecimento facial vai aumentar a efetividade das guarnições. Foragidos da Justiça poderão ser identificados e reincidentes em furtos poderão ser apontados pelo sistema. Além disso, há a possibilidade de uma integração com outras regiões de Santa Catarina.

“A ideia não é só fechar esse círculo entre as nossas cidades, mas no futuro interligar com outras regiões. A Polícia Militar está implementando em todas as unidades e a gente vai poder fazer o acompanhamento em todos os municípios do Estado”, destaca.

Foto: SSP SC/Divulgação

 

Notícias no celular

Whatsapp

Claudio Costa

Jornalista pós-graduado em investigação criminal e psicologia forense e pós-graduando em perícia criminal.