Passeio em família na casa dos pais do Osni Andrade. Foto: Sandra Andrade/Divulgação. A família do ciclista Osni Andrade, 53 anos, conta com a ajuda das pessoas para superar as dificuldades. No dia 20 de dezembro de 2015, Osni Andrade, aposentado e funcionário dos Correios de Schroeder, foi atropelado por um carro na Rua Manoel Francisco da Costa, no bairro João Pessoa, em Jaraguá do Sul, e foi encaminhado em estado crítico ao Hospital São José. Segundo a família, o motorista do carro estava embriagado, não prestou socorro à vítima e ainda fugiu do local do acidente. Após quase dois meses do atropelamento, Osni segue se recuperando do "acidente". Conversamos com a esposa dele, Sandra Andrade, 54 anos, mãe de dois filhos (22 anos e 29 anos), que trabalha na coordenação pedagógica da escola Machado de Assis. Ela falou sobre as dificuldades enfrentadas, sobre o tratamento e a recuperação do marido. Como está o Osni neste momento? "Já faz quase dois meses do acidente e o Osni vem se recuperando. Não vou dizer que está 100% porque a memória dele está um pouco lenta, mas aos poucos ele vai conseguindo. Ele precisa ficar em repouso mais uns 50 dias, em função da fratura do fêmur que foi bem grave, segundo o médico. No tornozelo direito houve uma fratura e ele está em repouso. Dia 20 de fevereiro completa dois meses do acidente. Esta etapa é bem complicada para nós, pois agora ele já está começando a entender um pouco das coisas, porém ele quer andar, mas não pode, e está na cadeira de rodas, então depende de mim e de mais uma pessoa que me auxilia na hora de tirar ele da cama, levar ao banheiro...". Quando ele saiu do hospital e como foi o tempo que ele passou internado? "O Osni saiu do Hospital São José no dia 23 de janeiro. Ele ficou cerca de 10 dias em coma, 16 dias na UTI e os demais dias no quarto normal. Precisou ficar isolado, pois ele 'pegou' uma bactéria na UTI dentro do Hospital, então acabou ficando mais um tempo lá. No dia 8 de fevereiro fez uma cirurgia do tornozelo. A mente dele é bem confusa, a memória não retornou completamente, há momentos que ele pergunta várias vezes a mesma coisa, mas precisamos ter paciência. Nós estamos bem felizes que ele já está falando. No dia 30 de janeiro ele começou a falar um pouco e aos poucos está se recuperando". Vocês estão recebendo ajuda das pessoas? "Há pessoas de fora pedindo para fazer depósito, querem muito ajudar. Grupos de ciclistas estão fazendo uma ação muito boa e até comentam que o Osni sempre ajudava muito as pessoas quando precisavam e isso acho que está retornando em beneficio para ele. Quando me perguntaram o que poderia ser feito, pedi que auxiliassem com fraldas, pois ocupamos muito. A prefeitura me ajudou também com fraldas, mas eram muito finas e passava a urina, então começamos a ganhar de pessoas as fraldas. Acho muito legal isso e  temos só que agradecer todo esse povo que está nos auxiliando. A Mari do Pedala Jaraguá pediu no que poderia ajudar, pediu meu aval e então começou a campanha. Já recebi bastante fralda, estou bem contente. Se não fosse ela seria bem difícil pra mim, até parei de trabalhar para auxiliar o Osni por enquanto". "Quero agradecer a todos os grupos de ciclistas que estão se organizando para ajudar o Osni Andrade", disse Sandra no facebook. O Osni lembra do atropelamento? "Não, eu perguntei um dia para ele: 'Você lembra como foi o acidente? Ele disse não. O acidente pegou ele por trás e no dia 13 de janeiro o motorista que atropelou ele foi solto. O traumatismo foi grave e quando ele fez cirurgia para tirar uma pequena parte do crânio, o médico chegou para mim e o meu filho e disse: 'Olha, não sei se tem volta, é gravíssimo, se vocês acreditam em Deus, continuem as orações. Inclusive o médico do plantão do Hospital São José veio falar com meu outro filho. 'É bem difícil ele se recuperar'. Mesmo confuso, o Osni hoje está aqui conosco e deve ficar mais dois meses na cadeira de rodas. Teremos retorno dia 25/02 com o médico e lá pelo mês de março provavelmente fará a cirurgia para 'recolocar o crânio'. Comecei a contar para ele como aconteceu, mas ele diz: 'Será? É verdade?... Não fiz nada de cirurgia', então eu digo que fiquei trinta e poucos dias com ele lá no hospital, com exceção da UTI que não podia". O que você sabe sobre o atropelamento? "O motorista que fez isso estava muito bêbado e ainda quis colocar a culpa na esposa dele dizendo que ela estava dirigindo. O  Osni estava quase chegando em casa, atravessou a rua para buscar leite para mim, então o carro atingiu por trás a bicicleta dele. Tenho a bike ainda aqui em casa , ela está toda estragada e mais tarde devo arrumá-la". "Pedalando você faz amigos e mantém a saúde em dia", frase compartilhada pelo Osni Andrade no facebook. Como as pessoas podem ajudá-los? "Qualquer auxílio ou dúvida as pessoas podem ligar para o telefone (47) 3370-2260 e 9174-2155. Agradeço a todos que oraram pelo Osni e isso mostra o tanto quanto Deus é grande. Eu sempre tive muita fé, e agradeço pela recuperação dele. Que Deus dê em dobro a todos que estão ajudando. Também agradeço ao Luis, meu vizinho, que está direto comigo me auxiliando. Só tenho a agradecer". "Gostaríamos que quem pudesse fosse solidário, pois o Osni ainda vai ficar 60 dias imobilizado e a quantidade de fraldas que ele usa por dia tem sido muito grande!" Marines Ronchi - 12/02/2016.