Chuvas fortes deixam mortos e desaparecidos em Santa Catarina

Foto: Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação/ND

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

18/01/2023 - 10:01 - Atualizada em: 18/01/2023 - 10:23

Duas pessoas morreram em Rodeio, no Vale do Itajaí, por conta das fortes chuvas que atingem o estado de Santa Catarina desde a noite de terça-feira (17), segundo a Defesa Civil do município. Outras três pessoas seguem desaparecidos na cidade.

O comandante dos bombeiros voluntários de Ascurra, Apiúna e Rodeio, Jaime Júnior Moser, relata as ocorrências no município de Rodeio.

O temporal, que afetou outros municípios do estado, também abriu uma cratera na BR-470 em Indaial, no Vale do Itajaí.

Mortes

Um homem de 30 anos e uma menina de 4 anos foram encontrados mortos em uma casa na região de Diamantina Pico, em Rodeio.

No local, as equipes seguem trabalhando na tentativa de encontrar outra criança de um ano e meio.

Conforme a Defesa Civil, os três estariam em casa quando o imóvel foi atingido por um deslizamento terra.

Nos bairros Diamantina e Nova Brasília há uma pessoa desaparecida em cada.

Para ajudar no resgate, o helicóptero do Corpo de Bombeiros será chamado.

Foto: Redes Sociais/ Divulgação

Norte de SC

No município de Rio Negrinho, choveu aproximadamente 78 mm na noite de terça-feira (17), informou a Defesa Civil municipal. Foram registrados deslizamentos e alagamentos.

Na manhã desta quarta-feira (18), 64 chamados foram feitos. Até o momento não há desabrigados, mas pessoas estão desalojadas e abrigadas na casa de parentes e amigos.

Um supermercado ficou alagado devido as fortes chuvas.

Oeste de SC

Um barracão de uma empresa caiu em cima de duas casas durante um vendaval na tarde de terça-feira (17), em Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina.

A Defesa Civil confirmou que os estragos foram causados por uma microexplosão – quando uma nuvem de tempestade não consegue suportar o volume de água e todo esse acumulado cai de uma vez só, causando uma forte corrente de vento para baixo da nuvem em direção ao solo, ficando concentrada em uma pequena área, gerando fortes rajadas de ventos.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil municipal, Ronaldo Luzzi, o barracão que cedeu fica no Bairro João Winckler. A estrutura é de uma empresa de insumos agrícolas.