Por um erro do Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon), hospital especializado em tratamento de câncer em Florianópolis, o corpo de um homem foi enterrado por engano esta semana na Capital.

Carlos Henrique Teixeira Barbosa, 60 anos, assessor parlamentar do deputado estadual Padre Pedro Baldissera (PT) faleceu, vítima de câncer, na quarta-feira (1).

No dia anterior, outro homem, que não teve o nome divulgado, também morreu vítima de câncer.

Na quarta-feira, a família deste homem foi ao Cepon e informou que não tinha condições financeiras para fazer o enterro e acionou a prefeitura.

Quando a funcionária do Cepon foi liberar o corpo para o enterro arcado pela prefeitura, aconteceu o erro. O corpo liberado foi o de Carlos Henrique, que acabou enterrado no Cemitério do Itacorubi.

Carlos Henrique Teixeira Barbosa | Foto Arquivo Pessoal

Erro reconhecido

A Fundação de Apoio ao Hemosc, que administra o Cepon, admitiu o erro e acionou o seu setor jurídico para solicitar, junto ao Tribunal de Justiça, a exumação do corpo de Carlos Henrique.

Nesta quinta-feira (2), família de Carlos Henrique recebeu a autorização do TJSC para exumação e a realização do sepultamento correto.

Mesmo conseguindo realizar o enterro, a família de Carlos Henrique vai mover uma ação de dano moral contra o Cepon, que emitiu nota lamentando o ocorrido.

Nota do Cepon

“O Cepon lamenta profundamente o erro cometido e esclarece que, no momento em que foi identificado, tomou todas as providências para repará-lo. Todo o apoio foi prestado à família, assim como as providências legais foram tomadas para que o equívoco fosse reparado. O Cepon está tomando todas as providências para que o fato não se repita”.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp