Atendendo recomendação da Defesa Civil municipal, a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia de Içara interrompeu as aulas no espaço do Centro de Educação Infantil (CEI) Favinho de Mel, localizado no bairro Primeiro de Maio, em Içara.

A interdição, feita pelo coordenador da Defesa Civil, Vitor Dutra, ocorreu na manhã desta quarta-feira (21), mas as aulas já estavam suspensas.

Segundo a secretária de Educação, Rose Reynaud, houve uma conversa com os pais, explicando a situação e informando que um novo local já foi providenciado para que o ano letivo siga normalmente.

“Buscamos por um local próximo do CEI para reduzir ao máximo os transtornos às famílias e a equipe do CEI. Já estamos realizando a mudança para a nova estrutura e as aulas serão retomadas no dia 27 de setembro, na Assembleia de Deus. As famílias entenderam nossa preocupação e se solidarizaram com a decisão tomada, pois a nossa preocupação maior é com o bem estar dos nossos maiores tesouros: seus filhos e nossos estudantes”, declarou Rose.

“Estamos sempre buscando o melhor para os cidadãos içarenses e para nossos colaboradores. Esse, infelizmente, não é o primeiro espaço que apresenta condições inapropriadas para o uso. Inclusive, a Defesa Civil vem realizando vistorias minuciosas para que possamos tomar as devidas providências antes que algo pior aconteça. Preservar a integridade física de todos que utilizam os espaços públicos é nossa prioridade e responsabilidade. Sabemos dos transtornos que essa alteração de local para as aulas pode causar, mas o bem estar das pessoas é o ponto principal”, enfatizou a prefeita Dalvania Cardoso.

Decisão da Defesa Civil

Em vistoria feita pelo coordenador da Defesa Civil de Içara, foi constatado, segundo Dutra, que a estrutura em alvenaria se encontra em bom estado, não aparentando riscos, apenas pequenos reparos.

“Já a instalação elétrica está, em partes, precária, mas a armação que sustenta o telhado se encontra infestada por pragas conhecida como cupim, em praticamente toda sua extensão. Em virtude da extensão e dos danos causados pelos cupins não há mais como fazer a desinfestação. E como existe a possibilidade de desabamento da estrutura, não há condições seguras para que as aulas sigam no mesmo espaço físico. Por isso, foi necessária a interdição da creche”.

Trecho do laudo técnico:

“A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil diante dos fatos acima elencados, solicita a imediata interdição do local, até que seja efetuada a restauração da estrutura (armação) em madeiras bem como na rede elétrica seja efetuada a manutenção de acordo com as normas de segurança vigentes, com o intuito de prevenir a integridade física e material daqueles que ali transitam/lecionam/estudam.”