As altas temperaturas e os dias de sol são verdadeiros convites para pegar uma praia. No verão, o litoral fica lotado e muitas pessoas não largam mão de um banho de mar. Infelizmente, a maior parte das praias não tem acessibilidade e os cadeirantes ficam fora da diversão refrescante. Este é o caso do jaraguaense Luiz Alberto Chicatto, que nasceu prematuro e teve paralisia. A deficiência afeta sua parte motora, mas não impede que ele tenha um espírito aventureiro. Através de uma iniciativa realizada em São Francisco do Sul, Luiz teve a oportunidade de dar o seu primeiro mergulho no “fundo da praia”. No último domingo (16), ele participou do projeto Praia Acessível. A parceria entre o Comde (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência) a Prefeitura de São Francisco do Sul e a guarda-vida civil, deu para o estudante de 18 anos a sensação de entrar no mar. As dificuldades para os cadeirantes são muitas na praia. O acesso com uma cadeira de rodas requer bastante esforço. luiz 2 “Eu ficava na beira do mar e de costas. Com essa cadeira (anfíbia) foi muito bom, porque eu consegui até mergulhar na água”, explica Luiz. A experiência vivida pelo cadeirante causou emoção em todos os que estavam no local. A mãe do rapaz, Adriana Siqueira, conta que ficou paralisada ao ver a sensação de alegria do filho. “Eu me senti realizada, porque sempre evitava de ir para o fundo e deixar ele olhado”, relembra. “Passou um filme na minha cabeça”, frisa Adriana, ao destacar que outros pais de deficientes de Jaraguá do Sul devem passar pela experiência com os seus filhos. O Praia Acessível foi implantado em São Francisco em dezembro. Segundo a coordenadora do projeto Laura Helena Espíndola, nove pessoas participam todos os dias da ação que acontece na Enseada, das 8h às 12h e das 14h às 19h. Essa é a primeira cidade do Litoral Norte de Santa Catarina a contar com uma iniciativa deste tipo. São três cadeiras anfíbias, com rodas adaptadas para andar na areia e boias de flutuação. O equipamento possibilita total interação do deficiente com o mar. De acordo com a Laura, o projeto é bastante procurado nos dias quentes de verão. Ela destaca que há visitantes até nos dias de chuva. Cerca de 60 cadeirantes já visitaram a iniciativa. Informações podem ser obtidas pelo telefone (47) 9 9922-2026.