Em 2020, a Semana Latino-Americana de Prevenção em Afogamentos ocorre entre os dias 23 e 29 de novembro. O Corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul já contabilizou duas mortes neste ano e busca alertar a população sobre o perigo deste tipo de acidente.

No dia 9 de fevereiro, Cassiano Kaiber, de 24 anos, se jogou no rio Itapocu após um acidente de trânsito. Ele foi encontrado morto próximo de uma ponte, no Centro. No último dia 22, Ingo Correia, de 51 anos, estava pescando e acabou se afogando quando mergulhou para buscar uma rede no bairro Jaraguá 99.

No ano passado, foram registradas três ocorrências de afogamento durante todo o ano. Com a chegada do calor, a possibilidade de acidentes aumenta e esse número pode ser ultrapassado. Afinal, a população de Jaraguá do Sul busca os rios e cachoeiras para se refrescar.

O comandante da corporação, Neilor Vincenzi, explica que a iniciativa busca conscientizar a população para evitar as mortes por afogamento. Ao tomar banho em algum local, as pessoas estão sujeitas a riscos e isso deve ser levado em conta no momento em que realizam essa atividade.

Normalmente, esses acidente ocorrem em locais de maior profundidade e, principalmente, durante o verão. Ao contrário do que muita gente imagina, muitos acidente ocorrem com pessoas que sabem nadar.

“A pessoa acaba entrando na água e fica um tempo. Com isso, ocorre um desgaste físico, porque nadar exige um bom condicionamento. A pessoa acaba tendo uma câimbra ou mesmo fica cansado por causa do esforço físico. Aí, a pessoa não consegue manter a flutuação e acaba se afogando”, explica.

Outra grande causa de afogamento é a ingestão de bebidas alcoólicas antes de nadar. A pessoa acaba ganhando “coragem” para entrar em locais mais profundos, acaba não fazendo a avaliação do perigo e ocorre o acidente.

“Para evitar o afogamento, é importante fazer uma avaliação prévia do local. O banhista deve verificar se há correnteza, se o trecho é profundo, se o corpo está em condições de realizar o esforço físico. Se a pessoa fez uma corrida antes, por exemplo, deve evitar entrar na água e ter um desgaste maior”, destaca.

Outra dica dada por Neilor é sobre a alimentação. É importante que a pessoa não entre na água logo após ingerir os alimentos. O ideal é fazer a digestão para só então se banhar.

“No caso de um afogamento, as pessoas devem retirar a pessoa para a margem e verificar se ela está em parada cardiorrespiratória. Se estiver, é preciso iniciar imediatamente as compressões para reverter ou manter a oxigenação do sangue até a chegada do socorro especializado”, frisa, ao ressaltar a importância de ligar para o número 193.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Whatsapp

Grupo OCP Segurança

Telegram

OCP Segurança