Foto Fábio Junkes/OCP News

Foto Fábio Junkes/OCP News

O Corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul voltou a receber trotes na madrugada desta sexta-feira (18). O plantão contou com sete atendimentos clínicos, mas, segundo o comando da corporação, foram realizadas 34 ligações para o número de emergência 193.

O número usado para realizar o trote é o mesmo que incomodou os voluntários no mês passado, assim como a forma de agir: ficar em silêncio quando a ligação é atendida.

Este comportamento faz a suspeita recair novamente sobre a mulher de 21 anos, apontada como suspeita de passar 352 trotes para o número 193 em setembro.

Durante dias, ela ligou para a central e, quando os bombeiros atendiam, ficava calada do outro lado da linha. Após cruzamento de dados, a dona do telefone foi descoberta e a Polícia Militar foi até a casa dela, em Guaramirim.

A suspeita, que alegou inocência, assinou um termo circunstanciado. Na ocasião, a jovem disse aos policiais militares que muito provavelmente seu irmão era quem teria feito as ligações para os bombeiros voluntários, sem seu conhecimento.

Os bombeiros voluntários informaram que registrariam um boletim de ocorrência contra a suspeita na Polícia Civil ainda nesta sexta.

De acordo com o subcomandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul, Robson Manske, os trotes fazem com que as ligações acumulem e acabam atrapalhando o trabalho dos voluntários. Em alguns casos, os bombeiros acabam não conseguindo atender uma chamada de prioridade por causa da linha ocupada.

“Nas ocorrências durante o plantão, há apenas um atendente na central e acabamos não pegando informações complementares e importantes para atender a outra ligação mais rapidamente”, conta o subcomandante.

A equipe do jornal O Correio do Povo tentou contatar a suspeita através do número utilizado para fazer os trotes, mas nenhuma das ligações foi atendida.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?