O Corpo de Bombeiros Militar continua realizando buscas pelo menino de 5 anos que desapareceu em Rio Negrinho, no Norte catarinense, no último domingo (29).

São, ao todo, 14 bombeiros trabalhando para encontrar a criança. Nesta terça-feira (31), as buscas se concentram no rio que passa nas imediações de onde o menino Ítalo estava.

 

 

Os bombeiros, com equipes em embarcações, realizam a varredura superficial, assim como sobrevoam a área com drone e utilizam mergulhadores para as buscas subaquáticas.

Durante os três dias, bombeiros militares e comunitários de Rio Negrinho, São Bento do Sul e Porto União têm trabalhado nas buscas.

Trabalho de ontem

Na segunda-feira (30), as equipes trabalharam na região próxima à residência. Um grupo foi ativado para busca terrestre, nas áreas de mata, partindo das margens do Rio Negrinho.

Duas equipes utilizaram embarcações para realizar buscas aquáticas superficiais, focando em um represamento no leito do rio, até uma distância de 500 metros do provável local em que a criança desapareceu.

Além disso, também houve atividades subaquáticas, com mergulhadores do CBMSC partindo do ponto em que foram encerradas as buscas do dia anterior.

Foto: PM/Divulgação

Foi coberta na busca terrestre uma área aproximada de 122 mil metros quadrados, abrangendo ambas margens do rio, além de edificações em uso e abandonadas nos locais próximos.

As buscas aquáticas foram prejudicadas, em parte, devido às chuvas que ocorreram durante a noite e que acabaram elevando o nível da água e consequentemente a velocidade da correnteza. Os trabalhos desenrolaram-se em uma extensão de aproximadamente 235 metros do rio.

Foi ainda conversado com moradores, bem como feita uma verificação de imagens de uma câmera de vigilância instalada em uma residência, que registraram todas as movimentações na entrada da rua, que não possui outra saída, desde a última vez em que a vítima fora vista, e o início das buscas.

Um agente da Polícia Civil acompanhou a verificação das imagens, e nenhum indício ou suspeita foi constatada.

Todas as buscas nas áreas de matas realizadas no dia anterior foram refeitas sendo ampliadas as áreas até o limite dos trilhos do trem.

O caso

No último domingo (29), a equipe do CBMSC em Rio Negrinho foi acionada por volta das 12h15min para ocorrência de busca de criança desaparecida, entre os bairros Centro e Alegre.

A equipe coletou informações com a mãe, de 25 anos, que disse que notou a ausência do menino, de 5 anos, por volta das 11h, após o almoço.

Os militares coletaram imagens de uma câmera de segurança das proximidades, que registraram a criança brincando na rua no início da manhã daquele mesmo dia.

Foram realizadas buscas na residência, no entorno e em toda a extensão das margens do rio e matas que circundam a rua, tendo como único indício de que a criança passara ali um par de chinelos de cor branca, que a mãe alegou ser dele.

O chinelo foi localizado por um amigo, segundo os familiares, e estaria na beira do rio, cerca de um metro abaixo do terreno.

Os bombeiros montaram equipes que se revezaram entre buscas por terra e aquática. Por volta das 14h, uma equipe do canil da Polícia Militar esteve no local para ajudar nas buscas, mas pela grande movimentação de pessoas, além da chuva, o trabalho do cão foi prejudicado.

A partir das 15h um bombeiro militar mergulhador de Rio Negrinho realizou as buscas subaquáticas. Ao longo da noite, equipes refizeram as buscas nas trilhas.